Séries que ando a ver – Parte 2

Séries que ando a ver – Parte 2

Neste post vou fazer um update sobre as séries que ando a ver ultimamente. Saem umas, entram logo outras. Nesta lista excluí os animes, entretanto depois também posso fazer um post sobre esse tema. Também aqui só estão as séries que de momento está no ar a temporada, ou então as que eu estou a seguir e que já terminaram.

Series que ando a ver-3

The Walking Dead – Já sigo há imenso tempo esta série e não é agora que vou parar. Aliás já me afeiçoei às personagens e não é agora que as vou largar. A história ainda consegue ser interessante, apesar de não concordar com muitas das decisões. Pobre Carl.

The Originals – Esta é recente, ainda só comecei a vê-la há uma semana. O spin-off de Os Diários do Vampiro, mantém o mesmo carácter sobrenatural, mas não tão adolescente. Soube que vai terminar este ano, mas ainda tenho muito para ver antes de aí chegar.

Once Upon a Time – Na minha opinião esta série já deu tudo o que tinha para dar. Nada de novo tem surgido nesta nova temporada. A maioria das personagens saíram e entraram outras novas. Ainda a continuo a ver porque tem aquele carácter de fantasia e é da autoria da Disney.

Anatomia de Grey – O meu guilty pleasure de fim-de-semana. Mesmo após anos a ver esta série, ainda consegue fascinar-me. O elenco não é tão forte como o das primeiras temporadas, mas lá se mantém.

Empire –  Comecei a seguir esta série nas férias do ano passado. Ultimamente não tem dado uma para a caixa. A narrativa dos episódios é cansativa e as personagens com histórias desinteressantes. Espero que termine nesta temporada. O que vale é a banda sonora que continua cinco estrelas.

Series que ando a ver-1

Narcos – Segui as duas temporadas anteriores, mas esta está a demorar mais a arrancar. Como os episódios são demoradas, por vezes é difícil conciliar o tempo. A história baseada em eventos reais é fantástica e até conseguem uma qualidade cinematográfica em cada episódio. A não perder.

This is Us – Adoro dramas familiares, mas This is Us não é uma série comum. Consegue por os nossos sentimentos à flor da pele. Acreditem quando vos digo que passo o episódio inteiro com lágrimas nos olhos. Aguardo sempre todas as semanas por um episódio novo.

Supernatural – Estes dois já passaram por tudo e eu estive sempre a acompanhar os bons e maus momentos durante estes anos todos. A série ainda se mantém muito devido aos fãs, mas os argumentistas fazem um bom trabalho com a qualidade dos guiões.

Gotham – Confesso que já começo a ficar cansada desta série. A história demasiadamente apressada e vilões aos molhos, danifica a qualidade da narrativa. Ainda continuo porque estamos a falar do Batman. Tenho cá para mim que não vai durar muito mais.

Rescue Me – Esta série já terminou. Comecei a vê-la porque lembro-me de assistir a alguns episódios na televisão e gostar. Contudo como não é muito popular, apesar das sete temporadas que teve só consigo vê-la online e nem sempre é fácil encontra-la. Por isso estou atrasada, já que comecei a vê-la há um ano.

Series que ando a ver-2

Sabrina a Bruxinha Adolescente – Esta série de 20 minutos é a minha felicidade antes de ir dormir. Um episódio de Sabrina anima o dia por mais crappy que tenha sido. Vi isto em miúda, mas a qualidade mantém-se. Adoro as piadas do gato Salem e o humor maduro da protagonista.

Ficheiros Secretos – Esta série vão assistindo quando posso. É um tapa-buracos, posso assim dizer. Quando não tenho nada para ver assisto a um episódio de X-Files, já que os episódios não seguem uma história linear, mas sim casos diferentes. Se continuam a fazer mais temporadas, por este andar nunca mais termino.

Dois Homens e Meio – Uma série de comédia que também gosto muito. Como estou naquela parte em que saiu o Charlie Sheen tem sido um pouco complicado de arrancar. Fiz uma pausa para começar um anime, e ainda não arranquei. Mas este ano tenho de terminar.

 

Anúncios

Narcos

narcos-1

A vida e o horror de um dos maiores narcotraficantes

A Netflix criou uma série viciante, queremos sempre ver mais, episódio atrás de episódio. No epicentro temos Pablo Escobar, um dos maiores narcotraficantes do mundo. Considerado até um dos homens mais ricos do mundo. Designado com o cognome de Robin dos Bosques pelo povo de Medellín, foi também o rei do horror na Colúmbia. Drogas, mulheres, riqueza e assassinatos em série é resumo da vida desta homem que quase chegou a ser Presidente do seu país. O que é mais assustador nesta série é que tudo foi baseado em factos reais e prova disso são as várias imagens da época que são transmitidas em algumas cenas.

“O Rei da Cocaína” é interpretado excelentemente pelo ator brasileiro Wagner Moura. Engordou 40 kgs, e teve de falar espanhol (apesar das críticas negativas e do seu sotaque) para o papel. A crítica aplaudiu a sua interpretação e conseguiu a nomeação para o Globo de Ouro. Outros ilustres atores fazem parte do elenco como Pedro Pascal (conhecido em “Guerra dos Tronos“) como Javier Penã um agente da DEA, e Boyd Holbrook (agora será o vilão em Logan) outro agente americano da DEA. Aliás todos os atores deviam estar aqui mencionados devido ao excelente trabalho. O trabalho de campo também está de bater palminhas, devido à minuciosidade o projecto que retratou os mais trágicos acontecimentos com pormenor, apesar de alguns momentos ficcionais.

narcos-2

O argumento foi bem construído e capacitado de uma autonomia e independência. O telespectador consegue estar atento a todos os pormenores que envolvem as personagens. Durante duas temporadas com 10 episódios de 50 minutos acompanhamos o auge e a queda de Pablo Escobar. A Netflix conseguiu captar toda a atenção com uma história verídica intrigante, com filmagens bem posicionadas, captando bem a essência dos atores.  Com a narração de Boyd Holbrook conseguimos compreender mais facilmente o trama. Esta é uma série obrigatória que nos “prende” do princípio ao fim.

As mortes mais marcantes de 2016

Este ano foi muito emocionante relativamente a séries. Falo por mim, quando digo que houve momentos que ainda não recuperamos. Difíceis, eu sei. Por esse motivo decidi fazer uma lista das mortes da televisão mais marcantes de 2016.

Glenn em The Walking Dead

Negan avisou e a Lucille tinha fome. Na última temporada o grupo de Rick encontrou-se com Negan, o novo vilão que apareceu para os atormentar. Com sede de vingança, utilizou a sua arma favorita, um bastão com arame farpado para matar. A resposta estava no primeiro episódio da sétima temporada. A escolha de Negan foi Abraham que conseguiu um fim de rei devido às suas últimas palavras. Já Glenn apanhou por tabela. Era uma personagem querida já que fazia parte do elenco desde a 1ª temporada. “I’ll find you” foi assim que se declarou a Maggie nos últimos momentos.

Laurel Lance em Arrow

Laurel Lance (Katie Cassidy), AKA Black Canary era um dos vigilantes, morreu depois de Damien Dahrk apunhala-la com uma das setas de Oliver Queen. Inicialmente parecia que Laurel ainda tinha hipóteses de sobreviver, pois recebeu imediatamente tratamento médico. Entretanto após confessar o seu amor por Oliver, não resistiu aos ferimentos. Após a sua morte, Queen comunicou publicamente a Star City quem na verdade era Lance, a Black Canary, como forma de ser reconhecida pelo seu esforço. De uma certa forma vive em Earth como Black Siren.

Hodor em Guerra dos Tronos

Hodor (Kristian Nairn) o gigante protector de poucas palavras foi morto por um exército de White Walkers. Morreu heroicamente, sacrificando-se para proteger a vida de Bran e Meera, enquanto fechava as portas do esconderijo onde se encontravam. Infelizmente os fãs da série finalmente conheceram o significado da palavra que sempre repetia, e daí o seu nome – Hodor. Antes do ataque Bran percorreu as memórias do seu passado, e percebeu que outrora ainda jovem, Hodor chamava-se Wylis. Wylis ouviu a Meera do futuro a gritar “Hold the door” e por isso repete sempre a mesma frase, até ser conhecido como Hodor.

Ramsay Bolton em Guerra dos Tronos

Outra baixa na série “Guerra dos Tronos“, mas este estava a pedi-las. Ramsay Bolton era das personagens mais odiadas. Depois de matar a própria família que o adotou, casa-se com Sansa Stark e faz da mulher gato-sapato. Vive com sede de sangue. No seu último episódio “The Battle of Bastards” luta até à exaustão com Jon Snow, matando ainda o mais novo dos Stark. Por fim é apanhado e morre com o seu próprio veneno, quando Sansa o abandona na cela com os cães dele esfomeados.

Pablo Escobar em Narcos

Este é um caso mais sério, pois foi baseado em factos verídicos. Pablo Escobar, colombiano e Senhor da Droga morreu num tiroteio com a força de segurança, depois de ter escapado à prisão. Não foi uma surpresa, pois a morte já tinha sido anunciada nesta segunda temporada. O legado de Escobar inclui um novo mundo da droga, marcado por ser multi-milionário, construiu casas para os pobres e assassinou centenas de pessoas.

Lexa em 100

Lexa (Alycia Debnam Carey) Comandante do Grounder Clans morreu com um tiro de uma arma de fogo, pouco tempo depois de ficar íntima de Clarke. A sua morte foi um acidente,  Titus, tinha intenções de assassinar Clarke. Lexa será lembrada pela sua liderança, os seus esforços para alcançar a paz e por ser defensor dos “direitos homossexuais” na televisão. Entretanto Lexa foi brevemente ressuscitada no final da temporada 3, quando Clarke viu-a na City of Light, conseguindo assim declarar o seu amor. Muitos fãs ainda não recuperaram deste acontecimento.

Vanessa Ives em Penny Dreadful

Vanessa Ives (Eva Green) era medium, bruxa e caçadora de vampiros, morreu de uma ferida de tiro. Ives perguntou ao lobisomem Ethan Crawford para matá-la de forma a salvar Londres do Drácula.“My battle must end,” ela disse-lhe, seguindo-se de um “You know that. Or there will never be peace on earth“. O duo partilhou um beijo de despedida antes de ele a enviar para o outro mundo. Ives não foi ressuscitada e esta cena marca o final da série “Penny Dreadful“.

Abbie Mills em Sleepy Hollow

Abbie Mills (Nicole Beharie) polícia, testemunha, irmã e co-protagonista, teve uma morte causada pela Caixa de Pandora. Mills valentemente sacrificou-se de modo a que Ichabod Crane e a sua irmã Jenny conseguissem sobreviver. Embora ainda pensassem que fosse possível salvar Abbie, todos os esforços foram em vão. O espírito de Abbie visitou Cran com uma mensagem “Our job was to carry you forward. My job is done”. Abbie Mills deixou para trás uma legião de fãs da série que ainda não acreditam no que aconteceu, nem sabem o que esperar da série já que uma das protagonistas deixou o programa.

Dia Nacional do Pijama com a Netflix

No próximo dia 21 de novembro comemora-se o Dia Nacional do Pijama. Não há nada mais confortável do que chegar a casa depois de um dia de trabalho e vestir o nosso pijaminho quentinho. Para comemorar a data é deixarmos-nos levar pela preguiça e a Netflix faz o resto no dia 20 de novembro. Aconselha a passarmos todo o dia de pijama vestido a assistir aos nossos filmes e séries favoritos. Além disso a previsão para o fim-de-semana é de muita chuva, por isso até calha bem.

Na TV, no tablet ou através do smartphone podes ver as tuas séries e filmes favoritos quando quiseres sem estares limitado por horários e dias fixos de transmissão desses conteúdos. Por isso se estavas à tempão a combinar fazer uma maratona de Narcos, Lost ou Breaking Bad esta é a oportunidade. Falo por mim, Narcos comecei a ver recentemente e conto as horas para ver o próximo episódio. Ou até, começar a ver novas séries como The Crown ou rever FRIENDS.

Na seleção de filmes a escolha não podia ser maior. Da comédia, à ação e até ao romance. Filmes como The Big Short, The Hangover, Interstellar, Jack Reacher ou Amigos Coloridos, tudo o que conseguires ver.

Prepara a manta, os snacks, as bebidas quentes e instala-te confortavelmente para uma sessão dos teus filmes, séries, e documentários favoritos. Com tantas opções já sabes o que vais fazer no Dia Nacional do Pijama?

netflix_lifestyle_image_03