Os melhores filmes de 2017

Com um ano a terminar fazemos uma retrospectiva do que melhor aconteceu no cinema. Desta vez apresento os melhores filmes relativamente ao seu género cinematográfico. Vamos à lista.

It

Terror

Um agradável surpresa nesta categoria. Baseado na obra literária de Stephen King, “It” retrata a busca do palhaço assassino para novas vítimas, o seu alvo favorito, as crianças. Numa cidade onde os adultos são personagens de fachada, cabe aos mais novos a dura missão de derrotar Pennywise. Um argumento bem escrito e personagens carismáticas, completam os ingredientes de uma mistura interessante.

Mulher-Maravilha

Fantasia

Criado num mundo de fantasia, não imaginava ser possível criar um filme sobre a Mulher Maravilha personagem criada pela DC. Gal Gadot consegue ter um desempenho fenomenal de uma forte guerreira que tenta viver num mundo de humanos. As filmagens conduzidas por Patty Jenkins são belas e enriquecidas com cenas de ação bem compostas utilizando q.b. os efeitos visuais. Este foi o filme de super-heróis que mais me surpreendeu este ano, ao lado de “Logan“.

Coco

Animação

A Disney e Pixar nunca desiludem e ultimamente cada filme é melhor do que outro. “Coco” é um filme que esclarece os valores da família e a importância  de conhecermos as nossas raízes. Música e muita cor são elementos essenciais neste filme que captam a atenção do espectador desde o primeiro momento, com uma história que aquece o coração e uma animação surpreendente.

The Shape of Water

Drama

Guillermo del Toro volta à realização. Novamente com as suas criações originais e histórias de fantasia. Em plena Guerra Fria, Elisa é uma seladora muda que trabalha num laboratório onde um homem anfíbio está mantido em cativeiro. Quando Elisa se apaixona pela criatura, elabora um plano para conseguir resgata-lo. Um drama entre duas pessoas solitárias que finalmente se juntam.

Logan

Ação

Nunca um filme de super-heróis foi tão humano e cru ao mesmo tempo. “Logan” é um choque frontal de brutalidade. Nem sempre existe finais felizes na fantasia. Hugh Jackman e Patrick Stewart são uma dupla fenomenal que confrontam pacificamente os finais das suas personagens em X-Men. As cenas de ação consegue ser duramente reais e conseguem ultrapassar a barreira do fantástico.

Get Out

Tríler

Um filme surpreender que nos faz colar à cadeira do princípio ao fim. Até pestanejar vai ser impossível. “Get out” uma obra cinematográfica de suspense máximo. Ficamos sem perceber o que se passa, mas para tudo existe uma explicação. Este filme mostra o brilhantismo de Jordan Peele na realização e argumento, com o fantástico desempenho de Daniel Kaluuya.

Lady Bird

Comédia

Realizado e criado por Gerta Gerwing, “Lady Bird” conta a história de uma rapariga de 17 anos muito elaborada para o seu tempo e localidade. Saoirse Ronan volta a surpreender com outro desempenho inesquecível. A comédia presente na narrativa é completada com uma quantidade certa de humor negro que consegue dar um novo alento à obra cinematográfica. Dos pontos mais altos do cinema de 2017.

Blade Runner 2047

Fição Científica

A continuação do sucesso dos anos 80 volta 35 anos depois do original. “Blade Runner 2047” segue a temática sobre a consciência na máquina. Esta obra cinematográfica tornou-se numa surpresa agradável. A cinematografia, a representação, a realização, a banda sonora e a narrativa conjugam-se perfeitamente num mix completo e interessante. Quem não viu tem de ver esta obra-prima.

Dunkirk

Histórico

Christopher Nolan é soberbo em tudo o que faz. Para este ano reservou-nos um filme baseado em factos verídicos. Quando quase quatrocentos soldados aliados ficaram cercados pelas tropas alemãs em Dunkirk na França. Um filme estruturalmente pensado como evocação aos elementos (água, terra e ar) utiliza o mínimo de falas possível. O que se tornou em algo original, também foi indicada como uma das falhas no filme. Contudo a fotografia, banda sonora, e  argumento estão excelentes.

Chama-me pelo teu nome

Romance

Um filme suave sobre um romance de verão. Elio pretende um verão calmo na casa dos pais, com a bela paisagem italiana, mas tudo muda quando Oliver, um americano chega para ajudar na pesquisa do seu pai. A relação entre ambos vai crescendo e percebem que tem mais em comum do que aparentam apesar do primeira má impressão. Escolhi-o para esta categoria, porque a história é cativante sobre um romance noutra perspectiva.

Na vossa opinião qual foi o melhor filme do ano?

Mulher Maravilha em números

Depois do filme, e da crítica (podem ler aqui) decidi pesquisar mais sobre o filme “Mulher Maravilha“.

Este é o primeiro filme de super-heróis com uma personagem feminina no protagonismo. Além disso também foi o primeiro com uma mulher na realização.

Este é o segundo que Gal Gadot interpreta a personagem. Em “Batman V Superman: Dawn of Justice“, a Mulher-Maravilha também marca presença.

6 meses foi o tempo de treino num boot camp, liderados por Mark Twight para recriar as cenas das amazonas.

38 localizações e dois países: Inglaterra e Itália onde os atores e a equipa viajou para tornar as cenas de filmagens mais reais.

75º aniversário da personagem Mulher Maravilha foi celebrado com o seu próprio filme live-action.

2000 elementos de produção no filme para criaram mais autenticidade à obra cinematográfica.

CP-MulherMaravilhaReview-ImagemDestaque

Mulher-Maravilha

Uma emocionante obra cinematográfica onde o poder feminino prevalece.

Depois da personagem nos ter sido apresentada em “Batman V Superman: O Despertar da Justiça” no ano passado, chegou a altura da Mulher Maravilha ter um filme só seu. Personagem carismática da DC, tem muitos fãs, e já recebeu várias adaptações, mas ainda nada no cinema. O plot principal da história da nossa heroína está espelhado na fotografia com quase 100 anos que Batman descobre. Na foto a protagonista pousa ao lado de combatentes durante a I Guerra Mundial. Antes de ser Mulher Maravilha como é por nós conhecida, era Diana (Gal Gadot) Princesa Amazona de Temiscira, e semi-deusa treinada para ser uma guerreira. O seu mundo muda quando conhece Steve Trevor (Chris Pine) um piloto/espião que lhe explica o terror vivido durante a I Guerra Mundial.

“I will fight, for those who can not fight for themselves”

É com este grito de independência que a jovem guerreira, contra a vontade de sua mãe Hipólita (Connie Nielsen) decide lutar ao lado dos humanos na frente da batalha.

[LER MAIS]

O que de melhor aconteceu no Comic-Con 2016

Chegou aquela altura do ano em que eu queria estar em San Diego para estar presente no Comic Con. Bem, como para já não é possível, acompanho todas as notícias que saem sobre o assunto por aqui. Partilho convosco, as informações e os vídeos do que melhor aconteceu no Comic Con 2016. Para relembrarem o ano passado, cliquem neste link.

Continue reading “O que de melhor aconteceu no Comic-Con 2016”

O que não sabias sobre…Gal Gadot

A atriz israelita de 30 anos foi a escolhida para ser a Mulher Maravilha no cinema. Depois de um vislumbre da sua personagem no filme “Batman V Super-Homem: O Despertar da Justiça“, já está em gravações para um filme próprio da sua personagem. Enquanto isso, fica a conhecer melhor Gal Gadot.

1. Antes de ser escolhida para o seu papel como atriz, Gal Gadot tinha uma carreira como modelo. Inclusive em 2004 ganhou o título de Miss Israel numa competição com 18 anos. Depois como obrigatório no seu país, cumpriu 2 anos de serviço de forças de defesa, antes de entrar na universidade. Optou pelo curso de direito e enquanto estava a estudar, foi descoberta por uma produção de cast.

Gal Gadot-37

2. A equipa do cast escolheu Gal para participar no filme Quantum of Solance. Gal fez o casting para Bond Girl, camille Montes, mas não foi escolhida. Entretanto o director de casting, contratou-a para o filme Velocidade Furiosa 5, o seu primeiro papel. A personagem Gisele deu-lhe popularidade.

Gal Gadot-6

3. Como podemos verificar no filme Velocidade Furiosa a sua personagem adora a adrenalina  e motos. A atriz possui uma 2006 Ducati Monster-S2R preta. Também é muito desportista, já chegou a praticar voleibol, basquetebol e ténis.

Gal Gadot-1

4. Foi-lhe oferecido o papel de Faora-Ul no filme Men of Steel, mas recusou devido à sua gravidez na altura. Em Novembro de 2011, Gadot e o seu marido Yaron Versano, foram pais de uma menina chamada de Alma.

Gal Gadot-2

5. Inicialmente Gal não tinha a mínima ideia  de que estava a fazer audição para o papel de Diana Prince/Mulher-Maravilha. A única informação que tinha era que estava a ser o guião um um filme de Zack Snyder, com Ben Affleck no papel principal. Durante a sua primeira audição, a atriz leu um excerto de Death Proof de Quentin Tarantino.

Gal Gadot-5

6. Gal Gadot ultrapassou atrizes como Olga Kurylenko, Elodie Yung e Jaimie Alexander para o papel de Mulher-Maravilha. As obrigações de Jaimie como elenco do filme da Marvel reduziu as suas hipóteses. Em Dezembro de 2013, Gal foi anunciada publicamente como esta personagem. Depois de Batman V Super-Homem, Gal será Mulher Maravilha num filme próprio e em Liga da Justiça.

Gal Gadot-4

7. Gadot já estava na mira de outros directores de casting. A atriz quase que foi escolhida para ser Gamora no filme “Guardiões da Galáxia“.

Gal Gadot-3

Crítica: Batman V Super-Homem – O Despertar da Justiça

batman V Superman-1

Título: Batman V Superman: Dawn of Justice

Ano: 2016

Realização: Zack Snyder

Interpretes: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams, Holy Hunter, Jesse Eisenberg…

Sinopse: Depois das ações do Super-Homem, Batman tenta derrotar o homem de aço, mostrando às pessoas o verdadeiro herói que necessitam.Com Batman e Super-Homem a lutarem entre si, Lex Luthor começa com uma nova ameaça. Em momento de crise é necessárioos heróis entenderem-se, e com a ajuda da Mulher-Maravilha derrotarem uma ameaça maior.

Btaman V Superman-2

Vamos esquecer por um momento as críticas. Não devemos deixar de ver um filme, só porque a opinião de alguns não cumpre as expectativas. Devemos vemos o filme para descobrirmos a nossa própria opinião. Apesar das más reviews, Batman V Superman não se mede aos palmos e já entrou no top de filme mais visto no fim-de-semana de estreia, e isso só quer dizer que os heróis ainda fazem lucrar. O realizador Zack Snyder volta a aventurar-se em histórias de super-heróis. Depois de Homem de Aço que se tornou um fracasso, Snyder apelou novamente à ajuda de Chritopher Nolan para o filme Batman V Superman que junta os dois heróis ovos de ouro da DC Comics. O realizador aprendeu com os erros do passado e este filme apresenta-se mais cuidadoso, apesar de ainda conter falhas. Ben Affleck está claramente no centro do história e superou excessivamente as expectativas para o papel de Batman. Em 2014 quando foi anunciado Ben Affleck como homem-morcego, o ator foi bombardeado de críticas negativas. Afinal depois de um excelente Christian Bale em “Cavaleiro das Trevas” o público já estava satisfeito. Mas este é um filme de oportunidades que além de Affleck apresentar-se como um Batman, um pouco mais velho, cumpre com todos os requisitos da personagem. Como equilíbrio feminino temos Gal Gadot como Mulher-Maravilha. No trailer a sua presença parecia quase “descartável”, mas afinal serviu como mote interessante para a apresentação da Liga da Justiça. Jesse Eisenberg apresenta-se como um Lex Luthor energético e com uma pitada de loucura, um dos melhores vilões desta geração, no entanto já tínhamos assistido a Jesse neste registo. Considero Henry Cavill um Super-Homem bem escolhido pois apresenta uma postura energética e uma atitude com bom-coração. Já Lois Lane (Amy Adams) está mais decidida neste filme, contudo a sua personagem é sempre escrita como donzela em apuros.

Batman V Superman-3

Red capes are coming, red capes are coming” e “Do you bleed? You will” já são frases que facilmente associamos ao filme. O argumento está cuidadosamente escrito, compreendo o quanto é difícil compactar a história de três fantásticas personagens em apenas quase 3 horas. Comparando com “Men of Steel” a história de Batman foi resumidamente bem elaborada, desde o assassinato dos seus pais, até à sua consagração como homem-morcego (apesar de considerar essa cena demasiadamente fantasiosa), passando pela ligação com o filme antecessor, até momento ao seu atual.

Snyder não se fica por aqui. Apresenta-nos um espectáculo luminoso na luta final, contra o vilão Doomsday. Com o recurso a um CGI pomposo, mas necessário. Houve planos de câmara bem pensados e consequentemente bem elaborados. As cenas de ação comprometeram-se a coreografias  fantasticamente delineadas. Não tenho nada a apontar  quanto ao confronto entre o Batman e o Super-Homem, foi um momento muito esperado, e não desiludiu. Excepto talvez como terminou e como facilmente os heróis “apertam as mãos”. O ambiente escuro e sombrio de Gotham e Metropolis torna o filme mais denso e inesperado. Outro factor que gostei foi aquela diferença entre “Man Vs God” que é descrita durante todo o plot.

As rápidas sequências e lapsos temporais, torna o destino das personagens bastante disperso. Entretanto situações inesperadas e confusas acontecerem e talvez aí esteja a maior falha do filme. Batman V Superman é considerado um filme para fãs. Mas claramente que para assisti-lo é necessário ter umas noções das histórias da banda desenhada e conhecer um pouco das personagens. Porque para quem esperava um filme descritivo da história de Batman e Super-Homem desengane-se, pois para tal seriam necessárias 10 horas de filme. Concluo a dizer que surpreendeu-me bastante (e acreditem não estava à espera de muito, já que Men of Steel deixou marca) e que apresenta-se como um espectáculo de entretenimento com heróis. O filme é um carrossel de acontecimentos e o final dá vontade para ver mais. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Liga da Justiça

justice1
A original Liga da Justiça surgiu em 1960 na banda desenhada realizada pela DC Comics. O desenho animado surgiu em 2001 até 2004. A história é baseada numa Liga formada pelos super-heróis por nós conhecidos, são eles: Super-Homem, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde, Flash, Mulher-Falcão e o Marciano. Também conhecidos como os “Sete Magníficos“. Apesar de haver algumas trocas pelas mãos dos criadores,  Bruce Timm e Paul Dini na formação da equipa (o Aquaman personagem principal na banda-desenhada foi substituído pela Mulher-Falcão na animação e o facto do Lanterna Verde ser afro) a série foi bastante aplaudida pela crítica principalmente pelo verdadeiro seguimento da BD.

As personagens dispensam apresentações, fazem todos parte da nossa infância, todos nós conhecemos as suas histórias. Mas vou relembrar quais os seus poderes de cada um:

Super-Homem: Super-força, raios laser, super-audição, invulnerabilidade e consegue a capacidade de voar.

Batman: Único super-herói que não possui poderes, apenas inteligência perspicácia e meios tecnológicos.

Flash: Super-velocidade

Mulher-Maravilha: Super-força, consegue voar e as suas braceletes são protectoras.

Marciano: Capacidade de mudar de forma (seja humano ou animal), consegue atravessar paredes, telepatia, e através do seu corpo molecular consegue dissolver-se.

Lanterna-Verde: O seu anel, consegue transforma-se em tudo o que lhe vier à mente

Mulher-Falcão: Consegue voar e o seu martelo é bastante útil nas batalhas.

A missão dos nossos heróis é sempre a mesma, mas que nunca nos cansamos, a Liga da Justiça salva o mundo dos vilões são eles: Joker (inimigo número 1 do Batman), Brainiac (um gorila super-inteligente), Lex Luthor (sempre a quer derrotar o Super-Homem), entre outros.

A série animada da Liga da Justiça conta com cinco temporadas, sendo que a partir da terceira temporada muda de nome para Justice League: Unlimited, devido à nova aquisição de super-heróis no enredo.

Crítica:

Liga da Justiça é uma série animada tanto para miúdos e graúdos, mostrando que a força e o poder pode estar dentro de cada um e que todos temos o poder de vencer os nossos medos. Aventura, privilegiada através da imensas batalhas que os nossos heróis terão de travar, comédia com as piadas do Flash, “engraçadinho do grupo” dos amores e desamores das personagens e valores étnicos e morais a ter em consideração. Assistir a Liga da Justiça pode tornar-se num serão agradável para os amantes de super-heróis com poderes. Na minha opinião o melhor episódio é Wild Cards, onde o Joker leva os nossos heróis quase á loucura e o fim do episódio é impressionante. Eu aconselho vivamente a verem este comic.