Saltar para o conteúdo

Etiquetamarvel

Gárgulas

Em 1995 até a Marvel aproveitou para fazer uma banda desenhada sobre o tema. O sucesso é explicado devido à complexibilidade e dramatismo dos temas debatidos. A série começa com os temas medievais, reis e rainhas, mas também aborda os Cavaleiros do Rei Arthur e ainda Shakespeare com as suas obras: Macbeth e Sonho de uma Noite de Verão. Mais tarde questionado sobre o tema

Crítica: O Fantástico Homem-Aranha 2

Para Peter, a vida é complicada – entre apanhar criminosos na pele do Homem-Aranha e passar algum tempo com Gwen, a pessoa que ama. Peter não esqueceu a promessa feita ao pai de Gwen de a proteger mantendo-se à distância, mas esta é uma promessa que ele não consegue cumprir. Entretanto, surge Electro, um novo vilão, Harry Osborn regressa e Peter descobre novas pistas sobre o seu passado.

Crítica: Os Vingadores (Avengers)

assado muito tempo de o filme ser falado para ser realizado, finalmente passou directamente dos quadrinhos para o grande ecrã. O que agradou os fãs da banda desenhada e não só, os amantes de filmes de super-heróis também viram o seu desejo realizado. Tarefa que não foi fácil de concretizar, juntar vários heróis com histórias completamente diferentes num só filme, e por isso ficou o filme tanto tempo em “stand-bye”. Mas agora finalmente passou para as salas do cinema. As personagens já nos são familiares, o grupo Avengers é constituído por: Iron Man – Homem de Ferro (Robert Downey Jr), Hulk (Mark Ruffalo), Capitão América (Chris Evans), Thor

Crítica – Fantástico Homem Aranha

A primeira saga foi realizada por Sam Raimi, e ao comunicaram um reboot, desta vez com um Amazing, fez dos fãs ficarem duvidosos quanto à recepção deste novo filme. Não seria muito cedo para começar tudo de novo? Novo enredo, novo vilão, novos atores. Tudo diferente. Mas correu tudo pelo melhor, o filme foi considerado um sucesso.