Saltar para o conteúdo

Etiquetakeira knightley

Crítica: Jack Ryan – Agente Sombra

Jack Ryan é um jovem recruta da CIA, disfarçado tenta infiltra-se na Rússia com o propósito de evitar um ataque terrorista.

O estilo de Keira Knightley

Keira Knightley tem apenas 30 anos, mas já tem uma carreira bem delineada. Keira Knightley é uma atriz britânica que escolhe bem os filmes em que marca presença. Com um estilo mais conservador típico das suas origens, Keira é normalmente escolhida para papéis de época. Vestidos Compridos típicos de uma dama, a atriz está sempre bem apresentada, e normalmente a sua personagem pertence à nobreza. Vamos relembrar o estilo da atriz pelos seus filmes.

Crítica: Num outro tom

Gretta e Dave são dois namorados e parceiros na composição de músicas, que partem para Nova Iorque quando Dave consegue um contrato com uma grande empresa discográfica. Só que a fama e o sucesso acabam por envolver Dave, que decide deixar a namorada. Mas o mundo de Gretta dá uma feliz reviravolta quando esta conhece Dan, um ex-executivo discográfico completamente falido e em desgraça, que fica imediatamente rendido ao talento em bruto de Gretta quando assiste a uma atuação num palco em East Village. Deste encontro casual resulta uma encantadora e transformadora colaboração, tendo como palco a banda sonora de um verão em Nova Iorque.

Crítica: O Jogo da Imitação

Durante o inverno de 1952, as autoridades britânicas entraram na casa do matemático, criptoanalista e herói de guerra Alan Turing para investigar um assalto. Em vez disso, prenderam Turing por atentado ao pudor, uma acusação que levaria à sua devastadora sentença pela ofensa criminal de homossexualidade – mal sabiam as autoridades que estavam a incriminar o pioneiro da computação moderna. Na liderança de um grupo de académicos, linguistas, campeões de xadrez e analistas, Turing foi reconhecido por quebrar o até aí indecifrável código da Enigma, a máquina utilizada pelos alemães na Segunda Guerra Mundial.

Crítica: Anna Karenina

nna Karenina é um filme de 2012 realizado pelo elogiado Joe Wright, e com as participações de Keira Knightley, Aaron Johnson, Jude Law, Matthew Macfadyen nos principais papéis. A história desenrola-se na Rússia, final do século XIX, no seio da alta-sociedade e explora a capacidade para amar que surge através do coração humano, da paixão entre adúlteros à ligação entre uma mãe e o seu filho

Crítica: Never Let Me Go

Baseado no romance homónimo de Kazuo Ishiguro, é uma história sobre o amor, a perda e verdades escondidas. É colocada a questão fundamental: o que nos torna humanos? Kathy (Carey Mulligan), Tommy (Andrew Garfield) e Ruth (Keira Knightley) vivem num mundo e numa época que nos são familiares e desconhecidos ao mesmo tempo. Passam a sua infância num colégio interno inglês aparentemente idílico. Quando abandonam a escola e são confrontados com um destino terrível, têm também de lidar com profundos sentimentos de amor, inveja e traição que ameaçam afastá-los para sempre.