Vídeo Musical – Vaiana


Novamente a Disney faz questão a tornar-se internacional. A cantora chinesa A-Lin interpreta a música “How Far I’ll Go” ou 海洋之心 – 迪士尼電影 para o filme da animação “Vaiana ” (海洋奇緣) (2017)

Anúncios

AOnime 2018

AOnime 2018

No ano passado não consegui participar no concurso, mas este ano, eu e a minha cosplay partner não deixamos escapar a oportunidade. Na verdade considero que os eventos se tornam mais divertidos quando participo no concurso de cosplay. Apesar de escolhermos com antecedência o cosplay que iríamos utilizar, devido a algumas complicações foi necessário um backup plan. Como a minha colega já tinha um cosplay da Disney, a Evil Queen, decidi juntar-me a ela com outra vilã dos estúdios de animação, a Yzma do filme “Pacha e o Imperador“. O cosplay é bastante simples, uma bata de laboratório, uma peruca feita em eva, forrei os chinelos, fiz os brincos também em eva e as luvas (primeira vez) e depois era só apostar na forte maquilhagem. A personagem como já tem uma certa idade, tive que exagerar nas rugas de expressão, círculos escuros debaixo dos olhos, lábios finos e numa cor esbranquiçada e roxa (quase de zombie) no tom de pele. Et voilá.

CosplayYzma_AOnime_BlogBeautifuldreams2
Antes do evento. Ainda com a maquilhagem minimamente em condições, pois com o calor e a transpiração, foi difícil manter.

O concurso era apenas à tarde, mas até chegar a Braga, ainda é quase uma hora de viagem e quase não chegava a tempo. Depois de uma manhã atribulada, lá consegui chegar ao destino. Nem consegui aproveitar o evento e as suas actividades pois a hora já apertava e dirigi-me imediatamente para o espaço dos camarins. O Centro de Congressos de Braga esteve recentemente em obras e está amplamente maior. A Yzma é uma personagem muito carismática e foi abordada para muitas fotos, no pouco espaço de tempo que estive no local do evento.

Depois de nos prepararmos e ensaiar uns 10 minutos o skit, dirigimos-nos para o backstage. Um convívio entre todos os cosplayers é sempre uma experiência muito positiva. Reencontramos amizades antigas e fazemos novas. Esta é a parte melhor do cosplay. À chegada do júri do concurso, foi realizada uma pré-avaliação dos nossos fatos e props. Éramos 15 participantes no total para o concurso do cosplay individual e de grupo. Ás 17.30h começava o concurso. Para o pouco que ensaiamos o skit até correu bem, só houve uma parte que me esqueci de um riso, mas nem se nota (o vídeo podem ver a seguir). Mais tarde recebemos elogios do júri, comentado que gostaram imenso do nosso skit, muito criativo e divertido, diferente do habitual. Na altura de anunciar os vencedores admito que não estava mesmo nada à espera quando anunciaram os nossos nomes para o segundo classificado. O concurso estava recheado de fantásticos cosplayers. Demorei um pouco a reagir, mas com emoção lá conseguimos receber o prémio.

Concluindo tive pena de não conseguir aproveitar o evento completo, mas senti-me realizada. Também não consegui tirar fotos como pretendia, nem fazer um vlog do dia, tal como costumo fazer. Contudo fiquei muito agradecida pelas opiniões e abordagens ao meu cosplay e ainda feliz pelo fantástico convívio no backstage. Para o ano há mais. Agora é recuperar forças e esforçar-me para o próximo evento, o Iberanime.

Vídeo do Skit de Cosplay

Era uma vez

Era uma vez

Um final feliz…

Adam Horowitz e Edward Kitsis criaram em conjunto esta série. E se as personagens que conhecemos dos contos de fada eram reais no nosso mundo? Em 2011 a emissora da Disney, ABC, aceitou o projeto. As várias personagens dos filmes que conhecemos de animação, finalmente estariam todas juntas numa só história por contar. Durante sete temporadas acompanhamos os protagonistas na sua jornada contra o mal. Mas como conseguiram aglomerar tanta personagem numa só série? Sem esquecer que somos invadidos por vários locais fictícios como: A Terra do Nunca, O País das Maravilhas, Arendelle e Oz. No centro da narrativa temos Emma Swan, uma mulher solitária que vive aborrecida com o seu dia-a-dia. No dia do seu aniversário recebe uma inesperada surpresa. Um rapaz chamado Henry, assume ser seu filho e entrega-lhe o livro “Once Upon a Time“. O menino acredita que Emma é a única que pode libertar as personagens dos contos da fada de uma maldição que lhe fez perder a memória, e viverem como pessoas normais sem magia. É nesta viagem de descobrimento que Emma decide visitar Storybrooke, a cidade onde estão presentes todas essas personagens.

Imagem relacionada

Durante 7 temporadas e 155 episódios acompanhamos as aventuras dos protagonistas dos contos de fadas como Branca de Neve, O Príncipe Encantado, A Rainha Má, Peter Pan, Bella, Capuchinho Vermelho, Elsa e Ana, Cruella de Vil, Sininho, Rumpelstiltskin, entre outras personagens e cada uma à procura do seu final feliz. Depois de uma primeira temporada muito boa, em que cada episódio apresentava uma história secreta de cada personagem. A continuação da série manteve-se desgastada, com narrativas repetitivas e personagens pouco carismáticas. Para a lista dos melhores episódios da série podes ver aqui.

O elenco original saiu no final da sexta temporada e era por aí que a série devia terminar. Mas não. Assim sendo, na sétima e última houve a necessidade de criar uma nova história com novas personagens, mas ainda com ligações ao enredo principal que conhecíamos. A repetição dos acontecimentos foi cansativo e desmotivante para adorarmos as novas personagens.

once upon a time s GIF

Apesar de já conhecermos o enredo dos vários filmes de animação da Disney. Em Once Upon a Time houve a necessidade desnecessária de redimir as maldades dos vilões e torna-los bons. Ora essa deixa era desapropriada. Apesar dos vários favoritismos e previsibilidade tornou-se numa série de fantasia com um conteúdo novo e interessante. Um crossover com imensas personagens que já conhecemos das histórias e dos filmes da Disney, nomeadamente a Mérida, Mulan, Elsa e Anna de “Frozen“. Concluindo esta série televisiva apresentava um plot interessante, mas com o tempo desgastou-se e apresentou falhas irreparáveis. Nem o episódio final conseguiu recuperar a glória perdida.

Star Wars Rebels

Star Wars Rebels

Logo após a Disney comprar os direitos da história de Star Wars à Lucasfilms, empresa fundada por George Lucas, não perdeu tempo em criar uma animação baseada nesta vasto universo. “Star Wars Rebels” surgiu em 2014 e terminou este ano. Durante quatro temporadas e 75 episódios acompanhamos as aventuras dos rebeldes pela galáxia. A série começa com as forças imperiais a invadir um planeta remoto, oprimindo os seus habitantes. Um pequeno grupo de insurgentes decidem revoltarem-se contra o Império e roubam para ajudarem os mais necessitados. Os membros da nave “Fantasma” são os mais procurados pelas tropas imperiais. No grupo podemos contar com Kanan, um jedi sobrevivente; Hera a pilota da nave; Sabine especializada em armas e explosivos; Zeb conhecido pela sua força física e Chopper um droide muito teimoso. O caminho dos tripulantes rebeldes junta-se com o de Ezra Bridger, um jovem carismático e ladrão que começa a manifestar habilidades da força. Mais tarde será o pupilo de Kanan. Juntos combatem contra a opressão do Império enquanto descobrem a verdade sobre o passado.

Star Wars Rebels

Apesar da maioria dos episódios apresentarem uma narrativa descartável, existem outros episódios que superam as expectativas. Somos abordados por várias personagens que também são recorrentes nos filmes Star Wars. Obi-Wan Kenobi, Yoda, Princesa Leia, O Imperador, Lando, Darth Maul, e até Darth Vader. Estes são apenas alguns exemplos. Tais presenças marcou de forma positiva e enriqueceu ainda mais esta animação.

Inicialmente “Star Wars Rebels” foi criado para um público mais jovem de forma a que as crianças compreendessem melhor o universo Star Wars para o consumismo. Contudo foi o público mais maduro e já conhecedor da história que começou a assistir a esta animação. Por esse motivo é facilmente notória a evolução das personagens, e abordam temas mais sérios e pertinentes conforme a narrativa avança. O protagonista é uma jovem de 14 anos na primeira temporada, mas consegue atingir uma maturidade constante na última temporada. Durante esta animação os espectadores podem contar com muita ação, e comédia, onde também estão presentes dilemas ente o bem e o mal. A animação podia ser melhorada, no entanto prevalece as suas paisagens coloridas e cores quentes. Concluindo “Star Wars Rebels” é uma série animada bem composta, que mesmo não sendo das melhores da Disney, conseguiu manter-se forte e ainda revelou surpresas bastante positivas. Quanto ao final, conseguiu ser definido, mas ainda com uma fenda para uma possível continuação.

O Corcunda de Notre Dame 2

O Corcunda de Notre Dame 2

Título: The Hunchback of Notre Dame II
Ano: 2002
Realização: Bradley Raymond
Interpretes: Jason Alexander, Jennifer Love Hewitt, Tom Hulce…
Sinopse: Quasimodo partilha uma aventura com um circo que chegou à cidade, enquanto lhe tentam roubar o sino de Notre Dame.

A segunda parte do filme de animação da Disney, “O Corcunda de Notre-Dame” baseado no livro com o mesmo nome de Victor Hugo, pretende dar um final feliz à personagem principal, Quasimodo. No filme anterior foi rejeitado no amor, mas agora terá uma segunda oportunidade. Quasimodo, o jovem sineiro de Notre Dame pode agora passear pelas ruas parisienses à vontade. Depois de anos fechado na igreja pode ter o que sempre quis visitar o festival que animam as ruas. A chegada do circo veio animar as festividades. Quasimodo conhece Madeleine, a ajudante do ilusionista. Contudo a distracção do  sineiro faz parte de um plano para roubarem o precioso sino de Notre Dame.

Claramente esta torna-se numa fraca obra comparando com o original. “O Corcunda de Notre Dame 2″ perdeu na qualidade de animação e com a sua narrativa previsível e vulgar. Não acrescenta nada de novo e apenas tem a função de obrigação para criar um final feliz forçado. Esperava mais da continuação desta história. O blogue atribui 2 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2

Carros 3

Carros 3

Título: Cars 3
Ano: 2017
Realização: Brian Fee
Interpretes: Owen Wilson, Cristela Alonzo, Chris Cooper…
Sinopse: O Lightning McQueen tenta provar à próxima geração de corrida que ele ainda é o melhor carro competitivo.

Depois de um segundo filme muito supérfluo, a Pixar volta a dar um novo ânimo ao seu clássico de animação, Cars 3. Neste terceiro filme Lightning McQueen tem um novo desafio. Voltar a ser o melhor carro de corrida, mesmo com a chegada da nova geração de motores mais eficazes. McQueen terá de voltar a lembrar-se do treino necessário para voltar a ser o melhor dos melhores. O caminho não é fácil, mas a personagem não estará sozinha. A Pixar não queria terminar mal com o segundo filme de Cars, daí criou uma nova história com um final mais conclusivo e digno.

A animação colorida e bem definida continua a ser dos factores mais positivos do filme. O espectador consegue sentir a adrenalina das corridas. Muita ação e comédia, aliam-se aos valores da amizade nesta película.

Carros 3-2

Owen Wilson volta a ser a voz de Lightning McQueen. O comediante consegue captar o carisma principal do protagonista. “Cars 3” consegue uma avaliação satisfatória. Fortes valores são apresentados e a mensagem consegue ser bem transmitida. Ideal para todas as idades, e até mesmo os adultos se tornam mais nostálgicos. Concluindo “Carros 3″ conseguiu convencer e é um final merecido. O blogue atribui 3 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2