Gotham

Gotham

A série mantinha uma premissa interessante: apresentar a infância e adolescência do herói Batman. Contudo havia um senão, e isso transpareceu na série. Já sabíamos que apesar de todas as tentativas nenhuma das personagens existentes nos comics ia ter o seu fim definitivo. “Gotham” terminou este ano, mas ainda conseguiu manter-se no ar durante 5 temporadas.

O primeiro episódio aborda imediatamente a morte dos pais de Bruce Wayne. Assassinados, mesmo à frente do filho criança, mantém sempre a dúvida na perseguição do malfeitor. Depois do incidente, Bruce fica a cargo do seu mordomo, Alfred que ajuda o jovem a superar a perda e a dor, enquanto gere a milionária empresa Wayne. A cargo do caso do homicídio está Jim Gordon, (Ben McKenzie) um recém polícia, idealista e cheio de sonhos para um mundo melhor. A partir deste momento todas as personagens que conhecemos dos comics marcam a sua presença na série. As origens dos vilões é o principal mote de arranque que os produtores utilizaram. Personagens como Catwoman, Poison Ivy, Pinguim, Riddler, Bane, Joker e Rhas Al Ghul, marcaram presença de uma ou outra maneira na série.

Resultado de imagem para gotham gif

Um policial noir que junta os tons escuros de Gotham numa série que não tem medo de arriscar. Todos os episódios são actos mirabolantes de loucuras, com personagens que já conhecemos. O que chateava era mesmo a personagem Pinguim que em todos os episódios tinha um arma apontada, mas safava-se sempre (é claro). A pressa para apresentar as personagens foi muita, que perdeu-se informação e falhas aconteceram. “Gotham” teria mais impacto se conseguisse aproveitar isso em seu beneficio. Conhecer-mos mais profundamente as personagens e assim criarmos um impacto maior com elas. Mas isso não aconteceu.

Resultado de imagem para pinguim gotham gif

O argumento além do drama policial também apresenta momentos de descontracção, maioritariamente proporcionados por Harvey o parceiro de Jim. A espontaneidade do ator Cameron Monaghan é fantástica, considero dos melhores atores da série que conseguiram levar para a frente a loucura da sua personagem, que neste caso é Joker. Pinguim (Robin Lord Taylor), Selina (Camren Bicondova) e Ridler (Cory Michael Smith) também conseguiram surpreender.  Concluindo está é uma série para fãs de banda desenhada, que não vou sentir falta porque deu tudo o que tinha a dar. Houve momentos muito interessantes, mas outros nem por isso.

Para conheceres mais sobre a série escrevi este artigo para a 3ª temporada (AQUI)

 

Anúncios

Batman e Harley Quinn

Batman e Harley Quinn

A DC aproveitou o sucesso de Harley Quinn após o filme “Esquadrão Suicida e decidiu avançar com um filme dedicado a esta vilã. No mesmo contexto do live-action, aqui Harley também duvida da sua identidade de ser a má da fita e decide ajudar a “salvar o mundo”. Juntamente com Batman e Nightwing terá de encontrar Poison Ivy e prevenir que avance com o seu plano. Apesar da animação, este filme não é para crianças. A história é madura e aborda temas sobre a sexualidade e com linguagem imprópria.

Batman e Harley Quinn” apresenta um argumento fraco e desconexo, numa abordagem mal aproveitada. Este filme é um dispensável para os amantes da banda desenhada. Quanto às personagens estas também foram mal escritas, fora das suas verdadeiras personalidades. A escolha de Melissa Rauch (A Teoria de Big Bang) não foi a melhor para a voz de Harley. O sotaque carregado não foi o melhor escolhido para a personagem. Concluindo este filme é uma perda de tempo, exceto com alguns momentos divertidos que fazem o espectador, mas pelo lado estúpido. O blogue atribui 2 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2

O “je ne sais quoi” de Harley Quinn

o-je-ne-sais-quoi-de-harley-quinn
Longe vão os tempos em que as vilãs era feias, narigudas e com voz estridente. Agora existe uma nova versão de lado mau. Um lado melhorado. Mais atraente mas também mais louco. Harley Quinn é o exemplo disso. Personagem ainda recente, a sua primeira aparição remota a 1992 na série animada de Batman da DC Comics. Companheira insubstituível de Joker, vive por ele um amor tresloucadamente obsessivo. Faz tudo que este lhe pede com um ar catita, sem se opor, mesmo que arrisque a sua vida. A também chamada de Princesa do Crime, ganhou fama novamente com a interpretação de Margot Robbie no filme Suicide Squad. E agora só se encontra Harley Quinn em todo o lado.

A Psiquiatra

Difícil é de acreditar que Harley Quinn como nós a conhecemos já teve uma carreira profissional. Ainda com o nome Harleen Quinzel, era psiquiatra em Arkham Asylum. Foi aí que se apaixonou pelo seu paciente, Joker. Fascinada por aquele homem fantasiado de palhaço, Harleen perde-se de amores por ele nas suas sessões de apoio. Ajuda Joker a sair de Arkham várias vezes, até que tal situação leva à sua ruptura emocional e assume o nome de Harley Quinn. Torna-se sidekick de Joker um dos melhores vilões de Batman .

A bela loucura

De ar jovial, atitude infantil e com uma presença carismática, Harley chama a atenção de qualquer um. O seu maior sucesso deve-se à sua personalidade e ingénua, juntamente com o seu comportamento sensual. Além disso ser das poucas personagens femininas com um lado mau na DC Comics ajuda à situação. Não tem medo de nada e faz o que lhe apetece. O seu mediatismo subiu em flecha em 2016 quando marcou presença no cinema no filme “Esquadrão Suicida“. Harley era das personagens principais. A atriz Margot Robbie interpretou com distinção a sua extravagância e insensatez.

Harley Quinn Everywhere

O seu espírito selvagem e atitude positiva são factores que contribuem para a popularidade desta personagem. A sua imprevisibilidade também. Depois da exibição do filme nos cinemas, Harley Quinn era a personagem predilecta para o Halloween e para cosplay. Todos querem ser Harley Quinn. O merchandising desta personagem invadiu as prateleiras das lojas com toda a sua força. Fica aqui a conhecer alguns produtos da Harley Quinn que podes encontrar.

merchanidising_harleyquinn

Preços e informações dos produtos

Notebook Harley Quinn

Porta-Chaves Harley Skull

T-shirt

Bastão Harley Quinn

Funko Pop Harley Batman Arkham

Caneca Suicide Squad

Central Comics Fest 2016

Este artigo já chega com muito atraso, mas mais vale tarde do que nunca. No dia 23 de julho dirigi-me a Vila Nova de Gaia para o Central Comics Fest 2016. Já costumo marcar presença nos outros anos, apesar de estar sempre a mudar de local. Quando vou a eventos   do género gosto de planear com antecedência se vou ou não de cosplay. Este ano, optei por ir. Durante o ano passado assisti ao filme “Batman: Assault on Arkham“, gostei tanto da versão da Harley Quinn que involuntariamente escolhi o meu cosplay.

Comentando o evento. Este ano considerei-o mais pequeno relativamente ao ano passado, e apesar dos anos, mantém-se no mesmo patamar. Não há melhorias a níveis organizacionais, de espaço e actividades.

A chegada ao local foi fácil, mas para mim ir a Vila Nova de Gaia é mais longe do que se o local mantivesse no Porto. O espaço escolhido foi uma escola, que na minha opinião, não apresentava condições para gerir tal evento. Além disso o fim-de-semana de muito calor que esteve não ajudou à situação. O ar não circulava e era quase difícil respirar no auditório (principal local do foco do evento). Quando cheguei ainda não estava com o cosplay 100% preparado. Daí tive que me dirigir às casas de banho, quando por meu espanto não existirem espelhos. Que casa-de-banho não tem espelhos? Bem tive que improvisar com uma câmara de filmar. Ainda bem que maquilhada já estava, era só mesmo a peruca que faltava. Depois comecei a investigar o espaço. Visitei o comercio de mershandising, as barraquinhas dos artistas, a zona da comida e dos jogos. Era pequeno, por isso não demorei muito. Juntamente com um grupo de amigos, fomos assistir ao painel do ator Rogério Jacques, que já tinha começado. O ator é conhecido pelas dobragens de “Sailor Moon – Navegantes da Lua“, “Cavaleiros do Zodíaco” e “Motoratos de Marte“. O painel foi interessante e deu para conhecer um pouco mais dos bastidores das séries de animação transmitidas em Portugal nos anos 90. De seguida o evento continuou com o Eurocosplay, que este ano foram só meninas. Go girls! Depois de cinco performances, foi anunciado quem representaria Portugal no concurso. Pode ser que um ano ainda me aventure a participar. Apesar do evento se manter por dois dias, não tinha atividades que nos mantivessem ocupados. Além disso este ano não se viu muito cosplay. Contudo aqui está uma fotos da minha Harley Quinn versão Assault on Arkham.

CosplayHarleyQuinn-Assault-on-Arkham
Foto à entrada do evento com o poster do filme “Esquadrão Suicida
CosplayHarleyQuinn-Assault-on-Arkham2
O martelo foi feito essencialmente com material eva, pintei-o e voilá.

CosplayHarleyQuinn-Assault-on-Arkham3

Para o ano há mais, e agora preciso de fazer um photoshoot com este cosplay da Harley Quinn. 

Crítica: Batman V Super-Homem – O Despertar da Justiça

batman V Superman-1

Título: Batman V Superman: Dawn of Justice

Ano: 2016

Realização: Zack Snyder

Interpretes: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams, Holy Hunter, Jesse Eisenberg…

Sinopse: Depois das ações do Super-Homem, Batman tenta derrotar o homem de aço, mostrando às pessoas o verdadeiro herói que necessitam.Com Batman e Super-Homem a lutarem entre si, Lex Luthor começa com uma nova ameaça. Em momento de crise é necessárioos heróis entenderem-se, e com a ajuda da Mulher-Maravilha derrotarem uma ameaça maior.

Btaman V Superman-2

Vamos esquecer por um momento as críticas. Não devemos deixar de ver um filme, só porque a opinião de alguns não cumpre as expectativas. Devemos vemos o filme para descobrirmos a nossa própria opinião. Apesar das más reviews, Batman V Superman não se mede aos palmos e já entrou no top de filme mais visto no fim-de-semana de estreia, e isso só quer dizer que os heróis ainda fazem lucrar. O realizador Zack Snyder volta a aventurar-se em histórias de super-heróis. Depois de Homem de Aço que se tornou um fracasso, Snyder apelou novamente à ajuda de Chritopher Nolan para o filme Batman V Superman que junta os dois heróis ovos de ouro da DC Comics. O realizador aprendeu com os erros do passado e este filme apresenta-se mais cuidadoso, apesar de ainda conter falhas. Ben Affleck está claramente no centro do história e superou excessivamente as expectativas para o papel de Batman. Em 2014 quando foi anunciado Ben Affleck como homem-morcego, o ator foi bombardeado de críticas negativas. Afinal depois de um excelente Christian Bale em “Cavaleiro das Trevas” o público já estava satisfeito. Mas este é um filme de oportunidades que além de Affleck apresentar-se como um Batman, um pouco mais velho, cumpre com todos os requisitos da personagem. Como equilíbrio feminino temos Gal Gadot como Mulher-Maravilha. No trailer a sua presença parecia quase “descartável”, mas afinal serviu como mote interessante para a apresentação da Liga da Justiça. Jesse Eisenberg apresenta-se como um Lex Luthor energético e com uma pitada de loucura, um dos melhores vilões desta geração, no entanto já tínhamos assistido a Jesse neste registo. Considero Henry Cavill um Super-Homem bem escolhido pois apresenta uma postura energética e uma atitude com bom-coração. Já Lois Lane (Amy Adams) está mais decidida neste filme, contudo a sua personagem é sempre escrita como donzela em apuros.

Batman V Superman-3

Red capes are coming, red capes are coming” e “Do you bleed? You will” já são frases que facilmente associamos ao filme. O argumento está cuidadosamente escrito, compreendo o quanto é difícil compactar a história de três fantásticas personagens em apenas quase 3 horas. Comparando com “Men of Steel” a história de Batman foi resumidamente bem elaborada, desde o assassinato dos seus pais, até à sua consagração como homem-morcego (apesar de considerar essa cena demasiadamente fantasiosa), passando pela ligação com o filme antecessor, até momento ao seu atual.

Snyder não se fica por aqui. Apresenta-nos um espectáculo luminoso na luta final, contra o vilão Doomsday. Com o recurso a um CGI pomposo, mas necessário. Houve planos de câmara bem pensados e consequentemente bem elaborados. As cenas de ação comprometeram-se a coreografias  fantasticamente delineadas. Não tenho nada a apontar  quanto ao confronto entre o Batman e o Super-Homem, foi um momento muito esperado, e não desiludiu. Excepto talvez como terminou e como facilmente os heróis “apertam as mãos”. O ambiente escuro e sombrio de Gotham e Metropolis torna o filme mais denso e inesperado. Outro factor que gostei foi aquela diferença entre “Man Vs God” que é descrita durante todo o plot.

As rápidas sequências e lapsos temporais, torna o destino das personagens bastante disperso. Entretanto situações inesperadas e confusas acontecerem e talvez aí esteja a maior falha do filme. Batman V Superman é considerado um filme para fãs. Mas claramente que para assisti-lo é necessário ter umas noções das histórias da banda desenhada e conhecer um pouco das personagens. Porque para quem esperava um filme descritivo da história de Batman e Super-Homem desengane-se, pois para tal seriam necessárias 10 horas de filme. Concluo a dizer que surpreendeu-me bastante (e acreditem não estava à espera de muito, já que Men of Steel deixou marca) e que apresenta-se como um espectáculo de entretenimento com heróis. O filme é um carrossel de acontecimentos e o final dá vontade para ver mais. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Crítica: Batman Bad Blood

bad blood-2

Título: Batman Bad Blod

Ano: 2016

Realização: Jay Oliva

Interpretes: Jason O’Mara, Yvonne Strahovski, Stuart Allan

Sinopse: Buce Wayne está desaparecido. Alfred cobre a situação, enquanto Nightwing e Robin fazem patrulha da Cidade de Gotham por ele. Um novo vigilante aparece na cidade, Batwoman investiga a morte de Batman.

bad blood-3

Quanto aos filmes, a DC Comics não tem parado. O ano de 2016 vão apostar em filmes com “Batman V Superman” e “Suicide Squad” além disso os filmes de animação também estão nos planos. Depois de “Batman vs Robin” chegou a animação “Batman Bad Blood” e ainda vem mais um a caminho com “Teen Titans Vs Justice League“. Com o desaparecimento do verdadeiro Bruce Wayne, Robin e Nightwing tentar desviar a atenção dos media, disfarçando-se de Batman. Enquanto isso surgem novas personagens que também pertencem à família do morcego. Ao longo dos anos a DC tem melhorado nos seus filmes e isso é notório na qualidade da história e na profundidade das personagens. Ultimamente tem apostado no enredo do Batman o que tem sido favorável, porque sem dúvida é dos heróis mais idolatrados da banda desenhada.

bad blood-1

Em Bad Blood ficamos a conhecer um pouco mais do passado de Bruce Wayne, que deixou um final em aberto. Os diálogos também estão bem construídos o que tornam o filme bem mais interessante. Conhecemos um pouco mais da bat family e de como trabalham em equipa. O filme apresenta uma narrativa simples e claro para conseguirmos compreender o enredo de fundo temos de ter umas noções das origens do Batman. O desenho é apresentado com boa qualidade, assim como os efeitos sonoros. Na generalidade este filme é uma mais-valia para os fãs da banda-desenhada, mas não só, porque quem vê, gosta. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

golden_star2 golden_star2golden_star2golden_star2

Novo trailer Batman V Superman

Um dos filmes mais aguardados revelou ontem o seu segundo trailer, com cerca de 3 minutos é prometido muita ação e reveladas personagens como Lex Luthor, Wonder Woman e Doomsday. “Maybe it’s the Gotham City in me, we just have a bad history with freaks dressed like clowns,” é assim a conversa entre Bruce Wayne e Clark Kent. Batman pode não ter visão de calor, mas aquele olhar foi de ódio.

Apesar do trailer mostrar imagens já conhecidas de outros vídeos, desta vez foi possível assistir melhor à dinâmica entre os heróis. O filme Batman V Superman: Dawn of Justice vai estrear em Março de 2016.

Crítica: Batman: Assault on Arkham

Batman-assault-on-arkham-2014
Título: Batman: Assault on Arkham
Ano: 2014
Realização: Jay Oliva, Ethan Spaulding
Interpretes: Kevin Conroy, Neal McDonough, Hynden Walch
Sinopse: Enquanto Batman procura desesperadamente por uma bomba implantada por Joker na cidade de Gotham, Amanda Waller, contrata a sua recém-formada equipa suícida para entrarem em Arkham e conseguirem uma informação vital escondida por The Riddler.

Batman-assault-on-arkham-0002

Apesar de o filme apresentar o nome do herói Batman o seu enredo aborda o lado inverso. Desta vez são os vilões que tem o papel principal. Podem considerar Assault on Arkham um preview para o filme live-action Suicide Squad que vai estrear em 2016. Batman apresenta-se num papel mais secundário, mas necessário para melhor compreendermos melhor o outro lado.Na realidade este filme é também uma prequela do jogo com o mesmo nome que também foi por ele baseado esta história. Vilões como Deadshot, Harley Quinn, Joker, King Shark, Captain Boomerang, Black Spider e Killer Frost juntam-se na perigosa prisão de Gotham, Arkham. Todos excepto Joker (que já lá estava preso) foram enviados pela destemida Amanda Waller com o propósito de descobrir informações para os seus planos. Numa aventura totalmente suicida o grupo terá de conviver e trabalhar em equipa, se quiserem sobreviver. Informo já que o filme não é para crianças.

Batman-Assault-on-Arkham-2014-001

Mesmo sendo de animação este filme completa-se. É sexy, engraçado, misterioso, fez estremecer, tem ação e ainda situações inesperadas. A DC Comics conseguiu estruturar bem Batman: Assault on Arkham. As  personagens são interessantes e funcionam bem em grupo, além disso a história foi empolgante. O atores estiveram ao nível das personagens com uma dobragem de louvar, acredito que interpretar Joker e Harley não é fácil. A única desvantagem de ser considerado um ótimo filme é que se torna demasiado curto, e tal devia ter sido mais explorado. Aconselho a assistirem a esta animação pois não se torna um desperdício de tempo e assim ficam a conhecer melhor o lado dos mauzinhos. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Crítica: Liga da Justiça – Deuses e Monstros

Justice-League-Gods-Monsters-Movie

Título: Justice League Gods and Monsters

Ano: 2015

RealizaçãoSam Liu

InterpretesBenjamin Bratt, Michael C. Hall, Tamara Taylor

Sinopse: Num universo alternativo encontramos uma versão muito diferente de Super-Homem, Batman e Mulher Maravilha, que trabalham fora da lei, são acusados de homicídio e por isso são procurados para serem eliminados.

Justice-League-Gods-and-Monsters-batman

Para quem pensa que os filmes de animação da DC são para crianças, está redondamente enganado. “Liga da Justiça – Deuses e Monstros” prova exactamente o contrário. Não estejam à espera de heróis com consciência justa, neste filme é cada um por si. Numa realidade alternativa, conhecemos um Super-Homem destemido, uma Mulher Maravilha durona e um Batman vampiro. Os três foram excluídos da sociedade devido ao seu comportamento extremo e não são acarinhados pelos cidadãos, como as suas anteriores versões. O trio mesmo assim continua a lutar para livrar o mundo de vilões, mas uma oportunidade perfeita foi encontrada para elimina-los, após serem culpados de um crime.

JusticeLeague_godsCom um ambiente escuro e sombrio, durante o filme compreendemos a história de cada um e o que moldou as suas personalidades. Cada um com um passado difícil, mas necessário de mostrar para o espectador perceber o presente. O enredo foi positivamente bem descrito e o texto bem pensado. Percebemos facilmente os sentimentos de cada um heróis. Podem parecer fortes, mas também já sofreram. Concluindo tenho a dizer que este filme foi uma agradável surpresa e fica o aviso que não é para crianças, devido ao enredo demasiado adulto e sangrento.

O blogue atribui 3,5 estrelas em 5

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2