Vídeo Musical – Mamma Mia


Excerto do filme musical Mamma Mia (2008) com Mery Streep no principal papel. É também a atriz que canta este tema “Dancing Queen” dos ABBA.

Anúncios

Annabelle 2: A Criação do Mal

Annabelle 2: A Criação do Mal

Título: Annabelle: Creation
Ano:2017
Realização: David F. Sandberg
Interpretes: Anthony LaPaglia, Samara Lee, Miranda Otto…
Sinopse: 12 anos após a trágica morte da sua filha, um criador de bonecas e a sua esposa, dão as boas-vindas a uma freira e a um grupo de meninas orfãs, na sua casa. Aí tornam-se no alvo de Annabelle a terrível boneca assombrada.

Ainda no mesmo seguimento dos filmes de Conjuring, baseado em factos verídicos na vida do casal Warren que resolviam situações anormais. Neste filme conhecemos a suposta criação de Annabelle, a assustadora boneca com poderes sobrenaturais. Este filme aborda quase todos os parâmetros de um filme de terror. Uma casa gigante, com muitos locais obscuros, crianças amedrontadas, uma freira, uma história trágica e um quarto proibido. Os cenários escuros fazem primor ao género de terror. A música também é crucial para proporcionar alguns sustos.

A história é bem linear e não apresenta um factor surpreendente. Conhecemos a origem do mal presente na boneca assustadora, conhecida como Annabelle. Com um enredo mediano, não se torna numa história aborrecida, mas esperava um final mais inesperado, como é comum em filmes de terror. As personagens principais não são marcantes e não nos apegamos a nenhuma, não existe protagonistas.

Concluindo o filme é mediano sem grandes intervenientes e com uma história simples e eficaz. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Entrevista com Khrystyna Tyminska

Entrevista com Khrystyna Tyminska

[PT] Atriz, modelo e influencer, Khrystyna Tyminska é a nova multifacetada it girl de 2019. Conhecida pelo seu trabalho extensivo em várias campanhas de de moda, vídeos musicais, incluindo no single de Chris Brown “Grass Ain’t Greener” assim como a sua carreira de televisão e cinema. Khrystyna vai ser o nome mais ouvido deste ano. Nasceu na Ucrânia e mudou-se para Dubin na Irlanda aos 9 anos. Khrystyna sempre sonhou em ser lembrada na industria do entretenimento. O blogue BeautifulDreams entrevistou a modelo nesta sua fase de carreira em crescimento.

[EN] Actor, model, and influencer Khrystyna Tyminska is the new self-made, multifaceted it girl of 2019. Known for her extensive work on various modeling campaigns music videos, including Chris Brown’s “Grass Ain’t Greener,” as well as her acting in film and television, Khrystyna is a true hustler whose name will be on everyone’s lips this coming year. Born in the Ukraine and having moved to Dublin Ireland at the age of 9 years old, Khrystyna knew from a young age that she wanted to make a splash in the entertainment industry. 

[PT] 1) Nasces-te na Ucrânia. Podes contar-nos as melhores memórias sobre quando lá vivias?

Tenho muitas memórias da infância. Penso que os momentos mais memoráveis são os que guardo com o meu pai. O meu pai faleceu quando eu tinha apenas 11 anos e eu valorizo imenso os momentos que passávamos juntos.

[EN] 1)You were born in Ukraine. Can you tell us what were your best childhood memories while you were there? 
I have a lot of childhood memories that’s for sure. I think the best memorable moment for me was with my father. My father passed away when I was only 11 years old and I definitely remember and cherish all the moment we shared together.

[PT] 2) Como modelo profissional, quais foram os maiores desafios que enfrentas-te no mundo da moda? 

Penso que viajar para longe da família possa ser muito difícil de gerir, mas eles apoiam-me e isso é muito importante para mim.

[EN] 2) As a professional model what were the main obstacles you faced?
I think travelling away from family can be very tough at times but they support me so that is very important to me.

khrystyna 5

[PT] 3) A Khrystyna participou no video clip de Chris Brown. Quais foram as maiores dificuldades que teve na representação?

Sim. A parte mais desafiante da representação, não o acto em sim, mas para mim é o sotaque, que estou a trabalhar no momento. Muitos produtores querem que tenhas um sotaque americano para papéis em filmes, mas eu tenho um fantástico treinador que me ajuda nesta minha dificuldade.

[EN] 3)You participated in a Chris Brown music video. Which was the difficulties from you found in acting?
Yes. I think the most challenging part in acting is not the acting itself for me but the accent which I am working on at the moment. A lot of producers want you to have an American accent for roles in movies, but I have an amazing acting coach who trains me for this.

[PT] 4) Com quase 100,000 seguidores no Instagram, pode indicar-nos algumas dicas para o seu sucesso no mundo digital?

As redes sociais ofereceram-me fantásticas oportunidades para colaborar com diferentes marcas em moda e beleza. Ajuda-me a conectar com diferentes pessoas pelo mundo que acho extraordinário.

[EN] 4)With almost 100,000 followers on Instagram can you give us some insights about your success in the digital world?
Social media has given me amazing opportunities to collaborate with different brands in beauty and fashion. It helps me to connect with different people around the world which I find amazing.

[PT] 5) Com uma carreira ainda em crescimento, preferia participar na em produções televisivas ou na indústria cinematográfica?

Sinceramente, eu adorava ambos. Mas sou mais apaixonada pela indústria cinematográfica, adoro a arte dos bastidores.

[EN] 5)With a career still growing, would you rather participate on television or movie productions?
I would like to do both for sure but more I would like to do movies. I love the movie industry and the art behind it.

[PT] 6) A imagem é muito importante na sua profissão. Qual é a sua rotina diária?

A minha rotina diária inclui comer o mais saudável possível durante o dia. Treino em casa e no ginásio e também cuido da minha pele, de manhã, quando acordo e à noite.

[EN] 6)Image is very important in your profession. What is the daily routine you usually have?
My daily routine includes eating as healthy as possible throughout the day, exercise either at home or in the gym and also take care of my skin in the morning and evening time.

[PT] 7) Quais são as suas actividades favoritas no seu tempo livre?

Eu adoro ler livros positivos e de motivação, e formações em representação.

[EN] 7)What are your favorite activities in your spare time?
I love to read positive and motivational books as well as doing acting classes.

[PT] 8) A sua profissão envolve muitas viagens. Até ao momento qual foi o local que mais a surpreendeu pela positiva?

Eu adoro viajar, é tão divertido! Difícil é escolher um local que me inspirou positivamente. Eu penso que cada país acrescenta algo de diferente relativamente à moda e cultura.

[EN] 8)Your profession involves a lot of travelling. So far what was the place that positively surprised you the most?
I absolutely love travelling it is so much fun! It is very difficult to say what place has inspired me the most because I think every country brings something different when it comes to fashion or culture.

Muito Obrigado Khrystyna Tyminska por esta fantástica entrevista. | Thank you very much Khrystyna Tyminska for this interview. Wish you the best. 
Images: Courtesy of Khrystyna

Boy Erased

Boy Erased

Título: Boy Erased
Ano: 2018
Realização: Joel Edgerton
Interpretes: Lucas Hedges, Nicole Kidman, Joel Edgerton…
Sinopse: O filho de um pastor é obrigado a participar numa escola religiosa para a desconversão da sua homossexualidade, forçado pelos seus próprios pais.

Ultimamente o cinema não tem mãos a medir em filmes de casos verídicos sobre situações de droga e homossexualidade. “Boy Erased” foca-se em factos reais na vida de Garrard Conley e no seu livro publicado, um memoir sobre a sua experiência no “Love in Action“. Um programa de terapia que se focava na conversão da homossexualidade.  Garrad explica por tudo o que passou enquanto esteve lá inscrito em 2004, e até mesmo aos conflitos que teve com os pais que não conseguiram aceitar facilmente a sua homossexualidade.

No filme as personagens são fictícias, criadas para tornar a história mais digna de filme, mas toda a experiência é verdadeira. Luca Hedges, interpreta Jared Eamons, filho de um pastor (Russell Crowe) que proclama a palavra de Deus. Sente-se aflito relativamente aos seus sentimentos. Apesar da personalidade rigorosa do pai, a sua mãe (Nicole Kidman) dá-lhe sempre muito apoio e incentivo em relação a tudo. Quando explica aos pais que é gay, e se sente atraído por homens, Jared é persuadido a inscrever-se num programa “Love in Action” para converter a sua homossexualidade. As medidas e os recursos utilizados nesse programa são extremas, e muitas vezes teriam de passar por situações desconfortáveis e ofensivas. Durante as semanas de terapia, Jared percebe que existe muitas diferenças entre os presentes. Como Jon que está tão sério em levar a conversão até ser hetero que até se proíbe em tocar noutros homens. Outros como Gary, apenas continuam com o “seu papel” fingindo que a terapia está a resultar. Os métodos eram humilhantes, desde bater com bíblias a insistir consequentemente que a culpa deles estarem naquele local era da família e deviam culpar os pais. Esse foi o gatilho final de Jared que conseguiu fugir da sessão, para nunca mais voltar.

O ator Lucas Hedges tem crescido bastante nestes papéis mais maduros que interpreta. Nomeado para o Óscar com o filme “Manchester by the sea” já conseguiu participar em vários filmes com atores de topo. Neste filme como Nicole Kidman e Russell Crowe, mas também Julia Roberts, Ralph Fiennes, Bruce Willis, entre outros. Atualmente já é considerado uma escolha segura para um papel dramático, já que é esse o género que mais participa. Lucas Hedges tem evoluindo bastante com os anos, e prova disso são estes filmes sempre com um ambiente pesado que faz.

Concluindo este é um filme dramático, sobre a homossexualidade que aborda um cenário que não tinha conhecimento, mas que faz todo o sentido exporem. Não só devido aos maus-tratos que os inscritos no programa teriam de suportar, mas também devido à ingenuidade sobre o processo de conversão. O blogue atribui 3 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2

The Departed – Entre Inimigos

The Departed – Entre Inimigos

Título: The Departed
Ano: 2006
Realização: Martin Scorsese
Interpretes: Leonardo DiCaprio, Matt Damon, Jack Nicholson…
Sinopse: Um polícia infiltrado e uma toupeira no departamento da polícia tentam descobrir a identidade um do outro, enquanto se infiltram num gang irlandês no Sul de Boston.

Quem confiar?

Neste filme realizado por Martin Scorsese temos uma história única sobre polícias infiltrados que seguem apenas uma missão. Não nos podemos deixar influenciar pois o nosso inimigo pode estar mesmo ao lado e sem nos apercebemos estamos numa teia de conspiração difícil de sair. “The Departed” conta a história de dois homens. Dois polícias com origens diferentes e com objectivos futuros diferentes. Um correto, outro errado. Matt Damon é Colin Sullivan. Desde criança foi ajudado por Frank Costello a estudar e a seguir os seu sonhos, estava a treina-lo para guardar os seu negócios de tráfico de drogas, delator de informação e máfia. Colin alistou-se no departamento da polícia estatal e tornou-se numa toupeira que transmitia informação a Costello. Do outro lado da moeda estava Billy, interpretado por Leonardo DiCaprio. Devido ao seu registo familiar, foi incumbido com uma missão importante. Infiltrar-se na equipa de Costello e conseguir provas necessárias para mandá-lo para a prisão durante muitos anos.

O desenvolvimento da narrativa, não pára um segundo neste filme. Apesar de ser uma versão adaptada do original chinês Mou Gaan Dou, conseguiu deixar a sua marca na história do cinema. Venceu os Óscares de Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Roteiro Adaptador e Melhor Edição em 2007. Este filme é mesmo interessante, não só pelo facto de ser uma corrida entre o gato e o rato, mas também pela forma imprevisível como os acontecimentos são retratados. Ninguém desconfia sobre o que vai acontecer a seguir.

O elenco é forte e dispensa apresentações. O jovem Leonardo DiCaprio que ainda neste altura estava a apostar em filmes mais sérios que tinha a certeza que levava a sua carreira mais alto. Não esteve nomeado para o Óscar com este filme, mas merecia. Assim como outros atores que se apresentaram fieis à sua personagem. Como Jack Nicholson, Matt Damon e Mark Wahlberg, que conseguiu a nomeação para melhor ator secundário

O final foi impulsivo e deixou  aquele sabor de agridoce. Não existe muita ação, mas o relógio não abranda e continuam sempre a rodar aqueles jogos de estratégias e planos para apanhar o rato e a toupeira. Outro bom filme de Martin Scorsese. O blogue atribui 4,5 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

 

OS MELHORES 15 EPISÓDIOS “GAME OF THRONES”

OS MELHORES 15 EPISÓDIOS “GAME OF THRONES”

TOP 15 EPISÓDIOS “GAME OF THRONES

Depois da saga “Personagens influentes” e como ainda faltam umas semanas até a última temporada sair, decidimos continuar, desta vez com um artigo sobre os que para nós foram os melhores 15 episódios destas últimas sete temporadas. Sim, não foi nada fácil, porque esta série é recheada de bons episódios, já por isso é considerada das melhores séries de sempre. Mas, fosse pelo nosso gosto pessoal, ou pela qualidade do episódio, aqui estão os nossos escolhidos.

15) 5×10- “Mother’s Mercy”

Stannis Baratheon marcha para a batalha para reaver Winterfell dos Bolton. Cersei procura perdão e é submetida a uma humilhação pública. Jon, na Muralha, tem os seus próprios problemas, depois de ajudar o povo livre, há quem não esteja contente com essa ideia.Sansa tenta fugir das garras de Ramsay Bolton com a ajuda de Theon. Uma season finale intensa: tivemos a batalha de Winterfell que acabou mal para Stannis; Cersei viu-se numa situação que nunca antes pensou,mas foi vítima também da própria armadilha; Arya Stark riscou um nome da lista e a morte de Jon Snow ficou-nos gravada na memória, e deixou-nos na expectativa para ver o que lhe esperava.

14) 3×09 – “The Rains of Castamere”

O episódio é focado no casamento de Edmure Tully com Roslin Frey. Outras histórias abordadas incluem a separação do grupo de Bran Stark, a lealdade de Jon Snow é testada e Daenerys Targaryen planeia sua invasão da cidade de Yunkai. Mas, o porquê deste episódio estar no top, para além de ser bem realizado e bem escrito, é o choque que provoca. Este é o episódio do Casamento Vermelho, um episódio que ficará para sempre na memória dos fãs da série. Estávamos à espera de algo, mas não daquilo. Foi triste, chocante e horrível o que vimos naquele episódio, ainda por cima o que estava a acontecer aos Stark, que já tinham sofrido tanto. Será para sempre um dos momentos mais icónicos e chocantes da tv, e provocou reações bastantes fortes em todos. The North Remembers.

13) 1×07- “You win or you die”

Muitos acontecimentos tomaram lugar neste mesmo episódio. Tywin pressionou Jaime para ser o homem que ele é suposto ser enquanto se preparam para a batalha contra Catelyn Stark, que capturou Tyrion Lannister. Ned confronta Cersei acerca dos segredos que mataram Jon Arryn e revela que sabe sobre o seu segredo, que os três filhos desta não são de Robert, mas sim fruto do incesto com Jaime. Jon e Sam fazem os seus votos de fidelidade à Night’s Watch. Jorah salva Daenerys de uma tentativa de assassinato com vinho envenenado e Khal Drogo jura vingança , prometendo liderar os Dothraki para sítios onde nunca foram. Em King’s Landing, Robert que estava gravemente ferido, depois da caça ao javali ter corrido mal, numa tentativa de assassinato planeada por Cersei, acaba por morrer. E a partir daí, Ned nunca mais ficou seguro.

12) 6×05- “The Door”

Hold the Door! Hold the Door!” ainda conseguimos ouvir os gritos intermitentes na fuga de Meera e Bran da caverna, invadida pelos White Walkers. Holdor apenas só conseguia dizer o seu nome, sempre serviu os Stark em Winterfell e acompanhou Bran na sua jornada. Neste episódio compreendemos o significado do seu nome, e a sua história. Choramos baba e ranho pela morte desta personagem que apesar de ser secundária conseguiu sacrificar-se por um bem maior. O significado das suas palavras foi finalmente ouvido.

11) 2×03- “What is dead may never die”

Ainda sem motivos para confiar em alguém, Tyrion procura utilizar a sua melhor arma, a sua inteligência, para descobrir quem merece a sua consideração no Small Council. Tyrion rapidamente percebe que está num ninho de cobras, ambiciosos por poder. Catelyn decide dar apoio ao filho na guerra ao persuadir Renly a juntar-se às suas forças. O que podia ser uma aliança favorável às duas partes. Após a ameaça a Winterfell, Theon terá de escolher o seu caminho. Juntar-se às ideias tiranas da sua família e governar Winterfell, ou juntar-se a Robb, único irmão que conheceu, na sua cruzada?

10) 3×04 – “And now is watch is ended”

Cada peão começa a mexer-se para provar o seu poder. Jaime ainda perdido e sem mão, tenta voltar para casa a todo o custo. Cersei não está confortável com a presença da família Tyrell. Do outro lado, a Patrulha da Noite começa a ficar impaciente com a Craster que abusa das suas próprias filhas e troca os seus filhos para o outro lado da Muralha. Daenerys afirma o seu poder com a compra do exército dos Imaculados. A mãe dos dragões começa a estar preparada para uma guerra iminente.

9) 4×09 – “The Watchers on the Wall”

Jon Snow e o resto da Patrulha da Noite enfrentam o maior desafio até hoje: evitar a invasão por parte do povo livre.

8) 7×04- “The Spoils of War”

Muito aconteceu neste episódio, o mais memorável da temporada 7. Em Dragonstone, Daenerys e Jon observam os desenhos das cavernas, deixados pelas Children of the Forest (Crianças da Floresta), indicando que o First Men (Primeiro Homem) e estas lutam juntas contra os White Walkers. Em King’s Landing, a Cersei tenta obter mais investimento do Iron Bank depois de lhes assegurar que em breve a dívida será paga. A Norte, Arya volta a Winterfell, reunindo-se com Sansa e Bran, lutando contra a Brienne. Na estrada para King’s Landing, Jaime e Bronn, juntamente com os exércitos, são apanhados no ataque da Daenerys montada no Drogon e o exército Dothraki. Uma batalha frenética, e das melhores da série, como Got gosta de fazer.

7) 2×09 – “Blackwater”

A frota de Stannis Baratheon chega a King´s Landing e assim a batalha começa, sendo que quem comanda a defesa é Tyrion Lannister, que age como mão do rei, que na altura é Joffrey, que fugiu mal viu oportunidade.

Tyrion não só conseguiu pôr em ação um plano para conseguir acabar com a maior parte da frota de Stannis, envolvendo wildfire, mas também conseguiu motivar os moradores a lutar pela defesa da cidade.

Durante tudo isso, Cersei que estava convencida de uma derrota, preparou um veneno para matar-se juntamente com Tommen.

Esta foi a primeira grande batalha que a série nos preparou. Para muitos continua a ser melhor, com as batalhas serem repartidas entre terra e mar, com wildfire à mistura.

6) 4×02- “The Lion and The Rose”

Tyrion ajuda o irmão Jaime ao encontrar-lhe um novo parceiro de treino. Ramsay Bolton continua os seus jogos com Theon. Bran percebe para onde tem de seguir, em direção ao Three Eye Raven. Em King’s Landing, chega o grande dia: o casamento de Joffrey e Margaery. Durante essa celebração, percebemos mais uma vez a arrogância e mesquinhez de Joffrey, que depois ainda tira um pouco do seu tempo para humilhar o tio Tyrion. Contudo, Joffrey cai inanimado, envenenado. Se existiu uma morte celebrada em tv, foi a de Joffrey Baratheon. Momento satisfatório, ver aquela personagem que toda a gente odiava, finalmente ir desta para melhor.

5) 1×01 – “Winter is Coming”

No primeiro episódio, não podíamos imaginar a magnitude e os largos contornos que esta série iria tomar. A frase pronunciada “Winter is Coming” tornou-se o seu lema. Conhecemos a feliz família Stark que dentro de poucos episódios iria deixar de o ser. Por outro lado, conhecemos a família Lannister, que depressa percebemos que algo não bate certo na relação entre eles. Outras personagens começam a tornarem-se importantes, é o caso de Daenerys Targaryen, ainda uma inocente menina vendida aos dothraki pelo seu próprio irmão.

4) 4×06 – “The Laws of Gods and Men”

O julgamento de Tyrion chegou. Aclama-se inocente, mas as provas apresentadas estão cada vez mais próximas da sua execução. Um testemunho inesperado reage contra si. Mas, Tyrion não iria ficar em silêncio. No melhor monólogo de sempre, Tyrion diz tudo o que pensa, e não deixa nada por dizer. Estamos a ver o episódio, e é impossível não aplaudirmos Tyrion, mesmo estando a aplaudir para uma tv. Yara finalmente encontra o seu objectivo de libertar o irmão, Theon, mas quem encontra é uma pálida imagem do que foi. Daenerys tenta conciliar os seus deveres políticos com a responsabilidade social, ao conhecer Hizdar zo Loraq.

3) 6×09 – “Battle of the Bastards”

Daenerys finalmente está de volta a Meereen, no momento em que a mesma está a ser atacada. Mas, a Mãe de Dragões vai ripostar, com a ajuda dos seus fiéis conselheiros Tyrion, Greyworm e Missandei. Já em Westeros, mais propriamente em Winterfell, Jon Snow e Ramsay Bolton confrontam-se numa batalha por Winterfell e pelo Norte. Jon não tem uma tarefa fácil, mas com a ajuda de Davos, Tormund e o povo livre, e com a estratégia de Sansa de pedir ajuda ao Vale, os Stark conseguem tomar de volta a sua casa. Outra morte satisfatória, a de Ramsay Bolton, entre ele e Joffrey sinceramente, não sei qual deles o melhor. Com a realização 5 estrelas de Miguel Sapochnik, este não é só um dos melhores episódios da série, mas da tv em geral. Sequências de ação longas e realistas, que nos transportam para aquela batalha, e que nos deixam lá, sempre alerta, e com o coração nas mãos.

2) 5×08 – “Hardhome”

Uma batalha que demorou um mês a filmar e que não estava no material original, os últimos 20 minutos deste episódio foram de cortar a respiração, quando o Night’s King solta uma avalanche de mortos vivos ferozes, sobre Hardhome, uma vila dos Wildlings, quando Jon e Tormund lá estavam para convencer o resto dos Wildlings do perigo que se avizinhava. Este foi o momento que ajudou a solidificar Jon Snow como o herói final, provando que este estava certo na sua tentativa de unir as frações inimiga. Foi uma batalha muito intensa de cortar a respiração. E, na qual pudemos assistir à extensão do poder do Night King.

1) 6×10 – The Winds of Winter

Esperava-se uma season finale em grande, e foi mesmo isso que aconteceu. Com a música “Light of the Seven” como fundo, Cersei, Margaery, Loras, Tommem e o High Sparrow preparavam-se para o julgamento. Mas, Cersei tinha um plano bastante diferente. Em Dorne, alianças entre Tyrell e Martell são formadas. Daenerys finalmente se encaminha para Westeros com um exército de dothraki, unsullied, aliados de peso e três dragões. Já no Norte de Westeros, Jon Snow consegue uma aliança entre o povo livre, os nortenhos e os cavaleiros do Vale. E, ali, Jon é proclamado Rei do Norte.

Um episódio icónico com reviravoltas, vinganças, descobertas…O que um fã pode querer mais?

E vocês, concordam com esta lista?
Estamos ansiosas pela nova temporada, que certamente terá episódios que irão fazer parte deste top.

Nas Nuvens

Nas Nuvens

Título: Up in the Air
Ano: 2009
Realização: Jason Reitman
Interpretes: George Clooney, Vera Farmiga, Anna Kendrick…
Sinopse: Ryan Bingham adora o seu trabalho de mala sempre na mão, viaja pelo país a despedir pessoas, mas sente a sua vida ameaçada pela presença de um novo interesse amoroso, e uma nova contratação.

É difícil imaginar-mos a nossa vida sem as pessoas que mais gostamos, sem bens materiais. Será que a nossa vida cabia apenas numa só bagagem? Para Ryan Bingham (George Clooney) a sua vida é mesmo assim. Vive de aeroporto em aeroporto e passa a maior parte do seu tempo em hotéis e aviões. Não é apegado a ninguém, nem mesmo à família. Vive para o trabalho e adora o que faz. Trabalha numa empresa onde despede as pessoas. Um viajante moderno que adora trabalhar. A sua opinião pelo seu modo de vida muda quando começa a ter um interesse amoroso e é-lhe atribuído uma nova parceira de viagem.

Realizado por Jason Reitman (Juno) este é um filme pleno sobre a necessidade do ser humano de se conectar com outros. Aquela força natural que nos leva a ser sociais. George Clooney é o protagonista neste drama/comédia e consegue captar o charme da sua personagem. Ao lado de Vera Farmiga que também está bem receptiva com o seu papel como par romântico de Clooney.

A dificuldade de nos conectarmos aos outros pode ser inquietante. Mas quem disse que devemos seguir as regras de casar e ter filhos? Cada indivíduo tem as suas noções de felicidade e refúgios que considera pertinente ter. Cada pessoa é digna de escolher o que pretende para o seu futuro. Este pode não ser o momento indicado, mas mais tarde pode ser uma hipótese. Após muitos anos de ser dono de si próprio, Ryan Bingham, encontra finalmente alguém que deseja e um sítio para chamar de lar. Mas será que estão destinados a ficarem juntos? O blogue atribui 3 estrelas em 5. Os diálogos fortes entre ser uma mulher com 20 e 30. Além das diversidades de compromisso que existe são os pontos altos do filme.

golden_star2golden_star2golden_star2

Leaving Neverland

Leaving Neverland

As revelações são chocantes. Não queria continuar a ver, mas por outro lado os meus olhos não descolavam o ecrã, tamanha era a vontade de conhecer aquela história. A polémica, não é nova. Michael Jackson já foi acusado de abusos sexuais a menores. Houve um julgamento, os media focaram-se no assunto. Culpado ou inocente? Contudo não houve provas suficientes para ir imediatamente para trás das grades.

Neste documentário da HBO com duas partes e com duas horas cada um, acompanhamos duas histórias com o mesmo propósito. Expor a verdade sobre os segredos do rei do pop. Dois homens, que enquanto crianças foram amigos íntimos de Michael Jackson explicam a sua versão dos acontecimentos. Como o artista os aliciava com brincadeiras, doces, e todo um mundo de luxo e novidades durante o dia e durante a noite lentamente criava o contacto sexual. Tudo muito secreto e nada comentado. O carisma de Michael Jackson era tão forte que os jovens entre os 7 e 13 anos cumpriam, mesmo que significa-se o sofrimento em silêncio.

Estes casos não eram descobertos, mesmo com os pais das crianças próximas do local onde tudo acontecia. Neverland o refúgio do artista era um forte construído propositadamente para este efeito. Com as suas divisões secretas, sala de cinema privada, quartos de brincadeira, jardim zoológico, piscina e parque de diversões privado. Um local de fantasia que escondia terríveis crueldades.

Admito que fiquei um pouco perturbada com estas acusações. Nunca considerei Michael Jackson um homem normal, as suas presenças em público eram estranhas e isso também se reflectia na sua aparência. Era extravagante e inocente ao mesmo tempo. Um miúdo que cresceu muito rápido e consequentemente trouxe problemas emocionais para o seu futuro. Neste documentário bastante explícito,  Wade Robson e James Safechuck revelaram pormenores da sua intimidade com Jackson. Contudo considero que este é apenas um documentário visto de um lado da história. “Leaving Neverland” explica apenas o lado do acusadores. Será verdade? Ou é apenas o dinheiro a falar? Um mistério que ainda vai continuar, pois existe quem afirme e quem desmente.