Saltar para o conteúdo

Crítica: BlacKkKlansman: O Infiltrado

Título: BlacKkKlansman
Ano: 2018
Realização: Spike Lee
Interpretes: John David Washington, Adam Driver, Laura Harrier…
Sinopse: Ron Stallworth, polícia um afro-americano, conseguiu infiltrar-se com sucesso no  Ku Klux Klan com a ajuda do seu colega judeu, que eventualmente se torna seu líder. Baseado em factos reais.

O facto que torna este filme bastante interessante e motivante, é a curiosidade que foi mesmo baseado em eventos verídicos. O realizador Spike Lee, inspirou-se no livro biográfico, escrito pelo próprio Ron Stallworth (John David Washington), para expor esta fantástica história no cinema. Estamos no Colorado, nos anos 70 e seguimos a história de um polícia negro de investigação, com muita ambição. O seu trabalho é infiltrar-se e expor os Klu Klux Klan. Um trabalho que não será propriamente fácil, pois Ron é um homem de cor e logo os seus requisitos de entrada não eram aceites, mas com a ajuda do seu colega de trabalho Flip (Adam Driver), um judeu deslocado, podem conseguir ter sucesso. Este é um filme que apesar de retratar as rebeldias dos anos 70, ainda está bastante atual com os noticiários. O racismo volta a estar nas conversas do dia, onde vários protestos começaram, o direito à igualdade é algo que todos merecem. Todos somos iguais e não devemos olhar à cor, religião, crença, sexo e etnia. Mas apesar de vivermos em pleno séc. XXI, nem sempre faz a diferença e por vezes parece que voltamos à idade da pedra. Devíamos todos pensar em construir um mundo melhor e sem conflitos.

BlacKkKlansman é um filme que retrata o início da luta pelos direitos dos afro-americanos, que lutaram para se manterem unidos. Spike Lee aborda como uma crítica aos governos que nada parecem fazer para expor estas entidades com ideias extremistas e que abalam a estabilidade da sociedade. Este filme conseguiu a nomeação de seis Óscares, incluindo: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator Secundário e Melhor Argumento Adaptado. O que a crítica mais destacou e que se tornou o melhor do filme foi a dupla protagonista. Os atores John David Washington e Adam Driver tornaram-se divertidos de assistir, e destacaram-se em muitas cenas. Além disso o diálogo frenético e divertido, tornou-se numa excelente qualidade.

Apesar da exposição do filme ser baseada em factos verídicos, muitos acontecimentos do filme não o são. A verdadeira identidade do parceiro de Ron nunca foi revelada, foi Lee que optou que fosse judeu para efeitos dramáticos. E os anos que decorreram o filme foi em 1972, mas na verdade só em 1979 é que Ron conseguiu avançar com a missão. Tudo isto para expor com mais importância tudo o que se estava a passar naquela altura, onde todas as minorias estavam em desvantagem e precisavam de um meio para se destacarem. Concluindo um filme historicamente interessante que apresenta uma história real, mesmo digna de filme. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

Rating: 3.5 out of 5.

beautifuldreams Ver todos

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: