Saltar para o conteúdo

The Good Fight

Temporada 4

The Good Fight volta a ser sassy e atrevida esta temporada. Começamos logo com o primeiro episódio, quando Diane vive um sonho de uma realidade alternativa. Quando percebe que muito mudou na sua vida e na verdade não é Trump que está na presidência, mas sim Hilary Clinton que ganhou as eleições. Felicíssima grita aos sete ventos a sua opinião. Contudo logo percebe que este mundo pode bem ser um pesadelo, quando descobre que as mulheres não tem a mesma liberdade. Harvey Weinstein não recebeu acusações sexuais e pela primeira vez a mulher não pode ser honesta quanto às sobreposições dos homens. Diane volta novamente para a realidade e não podia estar mais feliz.

Enquanto isso estas personagens voltam a surpreender com excelentes repercussões da lei norte-americana, quando aparece o memo 618. Uma misteriosa nota com poder autoritário e com muito poder que influência todos em sua volta. Além disso a investigação da Diane que está próxima de descobrir a verdade, atraí presenças que não são bem-vindas. Os escritórios Reddick, Boseman, e Lockhart juntam-se a novos associados, mas poderosos e ricos que subtilmente os vão controlar um a um e cabeças vão estar em risco, quando o grupo terá de descobrir quem dispensar dos escritórios. Lucca também recebe um forte protagonismo nesta temporada, quando recebe um trabalho para aconselhar uma multimilionária, que na verdade só precisa que uma amiga para conversar. Lucca entra num mundo onde não estava habituada e isso deixa-a com fortes dilemas morais.

Esta temporada foi curta, apenas sete episódios, mas o último ficou marcado. O grupo tenta descobrir os mistérios na morte de Jeffrey Epstein que morreu na sua cela em circunstâncias invulgares. Mais uma vez esta série volta a ser o mais atual possível. Além das críticas a Trump e aos motins de #blacklivesmatter, “The Good Fight” pega em casos reais e desconstrói-os à sua maneira e cria fortes probabilidades (apesar de fictícias) para o que pode ter acontecido. Consegue mesmo carregar na ferida e fazer-nos pensar.

Esta série é excelente e muito forte, com visões muito vincadas e determinadas. Não tem medo de entrar numa boa luta e apresenta sempre uma fantástica equipa a trabalharem juntos. Nesta temporada senti a falta da atriz Rosie Leslie, pois a série começou com ela no protagonismo, mas na temporada anterior teve que sair. O que é pena, pois gostava muito da personagem. Mas esta temporada também marca fortes saídas, estou a falar da atriz Cush Jumbo, que interpreta Lucca. Devido à pandemia a temporada encurtou e por tal não conseguiram dar o desfecho à personagem, mas na próxima temporada vamos ter mais um pouco de Lucca (e ainda bem). Outra saída é Delroy Lindo que interpreta Adrian Boseman, pois vai estrear noutra série. “The Good Fght” vai ficar mais pobre é verdade, mas ainda podemos contar com algumas participações especiais de Adrian e além disso temos a fantástica atriz Christine Baranski como protagonista. Por isso para o ano, esperemos que toda esta situação mundial acalme e que em breve podemos desfrutar a próxima temporada de “The Good Fight“.

beautifuldreams Ver todos

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: