Saltar para o conteúdo

Crítica: O Grande Peixe

Título: Big Fish
Ano: 2003
Realização: Tim Burton
Interpretes: Ewan McGregor, Albert Finney, Billy Crudup…
Sinopse: Um filho frustrado tenta determinar a realidade e a fição das histórias do seu pai.

Um viva para os sonhadores

“O Grande Peixe” é um filme para os contadores de histórias. Para todos aqueles que desejam mais emoção e aventura nas suas vidas. Não gostam do preto e branco, mas sim do cinzento. Um filme realizado por Tim Burton que conta a relação complicada de um pai com o seu filho.

Will Bloom sempre ouviu as histórias mirabolantes do seu pai. Contudo não acredita muito nelas. Dúvida das histórias do pai, e apenas que aceitar a verdade. Por vezes pode não ser tão interessante essa realidade. Mas é sempre utilizarmos a imaginação para criarmos um mundo melhor.

Durante duas horas de filme somos espectadores de uma história positiva carismática e com muitas metáforas sobre como devemos levar a nossa vida. Muito diferente dos outros géneros de filme do realizador Tim Burton. Não temos os cenários escuros, personagens mórbidas e desolados. Por outro lado temos a luz da imaginação e as cores que são apresentadas nos vários momentos importantes do filme.

Vivemos este filme pela perspectiva de Edward Bloom (Ewan McGregor e Albert Finney), um homem falador que adora contar histórias. Um bom comunicador com altas expectativas sobre a sua vida. Contudo o relacionamento com o seu filho Will, não é a melhor. Will apenas quer a verdade sobre a vida do pai, excluindo as suas aventuras imaginárias. Mas quando uma doença deixa Edward nos seus momentos de vida, Will vai tentar compreender o pai. Será que vai conseguir?

Durante todas estas histórias extraordinárias, o peixe é sempre o grande fio condutor. Presente nos grandes momentos da vida de Edward é o pai que o salva de ser afogado, o peixe que o ajuda quando o filho está a nascer e o peixe dá-lhe uma nova visão sobre que caminho escolher para a vida. Em criança leu que um peixe consegue-se adaptar à sua realidade e triplica de tamanho quando está em liberdade. Um aquário pode ser uma limitação, mas se sonharmos não existe barreira que limite a imaginação. Por vezes pode ser assustador seguir o caminho assim, mas pode ser a única salvação para crescermos.

-“They say when you meet the love of your life, time stops, and that’s true. What they don’t tell you is that when it starts again, it moves extra fast to catch up.”

Edward Bloom

Esta narrativa criativa e muito carismática conseguiu conquistar a sétima arte. “O Grande Peixe” é um filme que merece ser visto, que vai ajudar os mais sonhadores a receberem voz. Temos de estar atentos para recebermos os pequenos sinais para conseguirmos construir o nosso próprio sonho e criarmos planos para os alcançarmos. Os obstáculos estarão presentes, mas podem ser contornados. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

Rating: 4 out of 5.

beautifuldreams Ver todos

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: