Saltar para o conteúdo

Crítica: Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil

Título: Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile
Ano: 2019
Realização: Joe Berlinger
Interpretes:  Lily Collins, Zac Efron, Angela Sarafyan…
Sinopse: Uma crónica dos crimes de Ted Bundy da perspectiva de Liz, a sua namorada de longo tempo, que recusou aceitar a verdade sobre ele durante anos.

Difícil de acreditar que existiu realmente esta história. Como é possível um homem matar tantas mulheres e só anos mais tarde ser preso? Esta é a história verídica de Ted Bundy um assassino charmoso de mulheres que calcula-se ter assassinado e abusado mais de 40 mulheres. Além disso provocava com o seu charme egocêntrico o sexo oposto e ainda conseguiu ser o seu próprio advogado de defesa no seu julgamento. Um assassino sem escrúpulos e mentalmente doente que conseguiu escapar várias vezes da prisão. Esta é uma perspectiva do caso pela visão de Liz, a sua namorada de longa data da altura. Baseado num livro que a própria escreveu, “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy“, onde explicava a sua história. Este foi um choque para a jovem, pois não aceitava a verdade do parceiro, foram precisos anos de recuperação para aceitar os factos.

Ted Bundy está brilhantemente interpretado por Zac Efron. O ator torna esta personalidade mais humana (apesar de considerar-mos muitos dos seus actos, atrocidades de um monstro) e mais sensível ao seu meio. Houve momentos em que uma simples expressão demonstravam toda a sua dor, e os close-ups da câmara faziam todo o sentido. Sentimos mais esta empatia por Zac Efron do que por Lily Collins, excepto na parte final onde a atriz dá tudo por tudo na sua cena.

-You fell in love with a weirdo.

-I did. I fell in love with a weirdo.

-That makes you weird, just by association.

Ted Bundy e Liz Kendall

Relativamente ao realizador Joe Berlinger, onde a sua área é focada em documentários, até já esteve nomeado com um Óscar e juntos recriaram este caso de um dos maiores serial killers norte-americanos. Joe Berlinger apresentou algumas sequências duvidosas, mas isso esta explicado pelo seu currículo. Filmar um documentário é bem diferente do que retratar um filme. O espectador anda um pouco a boiar entre cenas e só quando Ted é finalmente preso é que a história começa a ganhar ritmo e melhor interpretação. O melhor deste filme foi mesmo a interpretação de Zac Efron que conseguiu provar num papel mais dramático a sua diversidade de ator. O blogue atribui 3 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.
Anúncios

beautifuldreams Ver todos

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: