Beautiful Boy

Título: Beautiful Boy
Ano: 2018
Realização: Felix van Groeningen
Interpretes: Steve Carell, Timothée Chalamet, Maura Tierney…
Sinopse: Baseado no best-seller a par de memórias de pai, David Sheff e filho, Nic Sheff, sobre uma história inspiradora do vício das drogas e do seu efeito na família.

Nesta obra cinematográfica dramática baseada em factos verídicos do livro do pai e filho, onde juntos ultrapassam as dificuldades que o vício da droga deixa. Um rasto de muita luta, desespero e sofrimento para a vítima e a família. Nic Sheff era o filho prodígio de David, que sempre cuidou dele. Eram muito próximos e Nic já tinha um plano traçado para o seu futuro. Tudo mudou quando experimentou a drogas pela primeira vez, um ciclo constante que estava a cair sem fim. Mesmo apesar das várias clínicas de reabilitação e das tentativas em conseguir uma vida normal, nada foi suficiente para deixar o que já estava entranhado no seu sistema: o maldito vício das drogas.

Neste viagem intimista somos abordados por uma história inspiradora de força e amor. Quando um pai faz de tudo, até o impossível para salvar um filho. Não desiste, e aquela deixa de ser uma luta de apenas um, mas de dois. O realizador belga Felix van Groeningen, apresentou uma viagem de auto-descoberta, sem um fluxo contínuo. Por vezes não sabíamos em que momento estávamos na história, mas conseguiu apresentar claramente as dificuldades da situação.

Subscrevo o talento dos atores principais, Steve Carell e Timothée Chalamet. Steve Carell apresenta-se sério e com olhar triste. Um profissional na representação que facilmente salta entre a comédia e drama. Já Timothée Chalamet tinha-nos impressionado com a sua presença em “Chama-me pelo meu nome” e neste filme volta a conquistar o seu lugar como um excelente ator da nova geração. Juntos conseguem comover que até o público se deixa envolver nesta narrativa.

Concluindo “Beautiful Boy” apresenta uma história em que muitos conseguem sentir a conexão. No entanto apresenta algumas falhas no argumento que se dispersa muito. Vale muito pela interpretação dos atores. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

David Sheff: Do you know how much I love you? 
[young Nic shakes his head]
David Sheff: If you could take all the words in the language, it still wouldn’t describe how much I love you. And if you could gather all those words together, it still wouldn’t describe what I feel for you. What I feel for you is everything. I love you more than everything.
Young Nic Sheff: Everything?
David Sheff: Yeah, everything.

3-5-estrelas

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s