Trindade

O interesse pelo sobrenatural, despertou em Diogo Simão a vontade de realizar esta curta-metragem. Três vampiros, que aparentemente nada tem em comum, juntam-se numa noite a conversar. Sentados à lareira, no hotel Trindade falam sobre as suas experiências. Pedro (André Carneiro) o mais jovem vampiro, é o mais descontraído. Sem preocupações, segue a filosofia de aproveitar a vida ao máximo. Valentina (Tânia Silva), a única mulher do grupo, apresenta uma personalidade insensível à compaixão e sabe usar as armas que tem em seu favor. Para completar o trio, junta-se J (Pedro Monteiro), um pacifista que ainda acredita na possibilidade de utilizar o seu “dom” para o bem da da Humanidade.

Trindade-1

Os tons escuros utilizados no cenário, promovem o registo principal do filme. Uma fição sobrenatural que retrata seres imortais adaptados aos tempos modernos. É com uma conversa banal que a tensão aumenta. O argumento cativante, atrai a atenção imediata do espectador. Apesar de não se conhecerem, exepto o Pedro que é a ligação principal entre as personagens, partilham experiências idênticas. O backstory de cada um é desmistificado. As falhas humanas são debatidas, e de forma controversa são reveladas verdades desconhecidas. A visão que temos sobre a História mundial será completamente renovada. Uma disputa intelectual polémica que vai provocar diferentes emoções nas personagens. “Trindade” é uma jovem e interessante produção nacional que merece ser apoiada.

Para conhecerem mais sobre “Trindade” visitem o Facebook

Anúncios