Crítica: Mínimos

Minions1

Título: Minions

Ano: 2015

Realização: Pierre Cofin

Interpretes: Sandra Bullock, Jon Hamn

Sinopse: A história dos Mínimos começa nos primórdios dos tempos. A partir de organismos unicelulares amarelos, os Mínimos desenvolveram-se ao longo das eras, servindo sempre o mais maldisposto dos mestres. Sendo incapazes de manter os mestres – de T-Rex a Napoleão, os Mínimos encontram-se sem ninguém a quem servir e entram em profunda depressão. Mas um Mínimo chamado Kevin tem um plano e, juntamente com o rebelde Stuart e o adorável Bob, aventuram-se pelo mundo à procura de um novo e malvado chefe para seguirem. O trio embarca numa emocionante viagem que os conduz até à nova potencial líder, Scarlet Overkill, a primeira super-vilã do mundo…! (Fonte:Sapomag)

minions2

Depois de dois filme Gru – Maldisposto com muito sucesso, chegou a hora de criar um filme totalmente dedicado aos seus ajudantes. Uns seres amarelos que adoram bananas e falam uma língua que ninguém percebe, mas toda a gente entende. Os minios ou mínimos, como preferirem. O espaço temporal ocorre anos antes dos filmes anteriores e explica a jornada para os mínimos encontrarem o pior vilão de sempre. O filme é divertido e consegue-se passar um bom serão. Não apenas para crianças, os adultos também vão se rir. Apesar do enredo tornar-se demasiado cliché, para quem viu os trailers facilmente percebe a história e também é aí que estão as cenas mais hilariantes; é um bom entretenimento. As peripécias do trio composto por Kevin, Bob (o meu favorito) e Stuart foram bem elaboradas com ação e divertimento.

minions3

O filme é todo ele muito colorido e cheio de graça. Não cansa visualmente e é bastante leve. Considerado mesmo um filme de Verão, ou então uma perfeita companhia para assistir num dia mais chuvoso. Hoje em dia os Minions estão em todo o lado é tão forte o merchandising em volta deles que o amarelo passou a ser a cor da moda. Concluindo a narrativa do filme é muito simplificada, mas com piada. E apesar de não falarem uma língua que os espectadores percebam a linguagem corporal dos minions fala mais alto. A piada está mesmo nas adoráveis criaturas protagonistas, que são tão inocentes que desculpamos mesmo tudo. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Anúncios

2 thoughts on “Crítica: Mínimos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s