Saltar para o conteúdo

Os melhores filmes biográficos

Cleópatra

Elizabeth Taylor, Richard Burton e Rex Harrison são as estrelas nesta arrebatadora história de poder e traição. O lendário conto da Rainha do Nilo e a sua vitória sobre Júlio César e Marco António apresenta o inesquecível retrato desta poderosa mulher de irresistível beleza que seduziu dois dos mais poderosos soldados romanos e mudou o rumo da história. Poderoso na sua grandiosidade visual e técnica, o filme foi premiado com Óscares nas categorias de Melhor Direcção de Fotografia, Direcção Artística, Guarda-Roupa, Cenários e Efeitos Especiais.


Alexandre, O Grande

Um destemido rei guerreiro, cheio de ambição, coragem e a arrogância própria da juventude, lidera as suas forças em muito menor número contra os massivos exércitos persas… Um filho desejando ansiosamente a aprovação do seu severo pai, marcado pelas cicatrizes das batalhas, dilacerado e em conflito com o legado da mãe… um impiedoso conquistador que nunca perdeu uma batalha e levou os seus soldados até aos limites do mundo como era então conhecido… um visionário cujos sonhos, feitos e destino ecoou através da eternidade, ajudando a moldar a face do mundo como hoje o conhecemos. Ele foi tudo isto e muito mais. Ele foi Alexandre, o Grande. Do realizador vencedor de três Óscares da Academia, Oliver Stone, chega- nos um monumental épico que conta com um majestoso elenco formado por Colin Farrell, Val Kilmer, Angelina Jolie e Anthony Hopkins.


Marie Antoinette

Noiva do futuro rei Luis XVI (Jason Schwartzman) com apenas 14 anos, a ingénua Marie Antoinette (Kirsten Dunst), é lançada na opulenta corte francesa, plena de escândalos e conspirações. Sozinha, sem apoio, à deriva num mundo perigoso, a jovem Marie Antoinette rebela-se contra a atmosfera isolada de Versailles e, no processo, torna-se na monarca mais incompreendida de França.


Elizabeth

Inglaterra 1554. Sob o reinado da rainha católica Mary I, o país ficou arruinado e devassado pelas lutas religiosas, na sua tentativa de impôr o catolicismo. Bem contra a vontade de Mary I, sucede-lhe por morte a sua meia-irmã Elizabeth Tudor, que aquela tentara condenar por traição, filha de Henrique VIII e de Ana Bolena. Elizabeth restabelece o protestantismo e o Papa excomunga-a o que abre as portas à inimizade da França e de Espanha. Aconselhada a um casamento de conveniência para obter uma aliança que lhe permita manter a coroa, Elizabeth sabe que tem que agir com firmeza, se não quiser sucumbir à Europa e à nobreza católica de Inglaterra. O filme tem continuação com a mesma atriz, em Elizabeth – Idade de Ouro.


Braveheart – O Desafio do Guerreiro

No século XIII, soldados ingleses matam a mulher do escocês William Wallace (Mel Gibson), na sua noite de núpcias. Ele resolve então liderar o seu povo numa vingança pessoal que acaba por deflagrar uma violenta luta pela liberdade. Este é um grande clássico cinematográfico.


Frida

Filme vencedor de 2 Oscares em 2003. A vida de Frida Kahlo partilhada abertamente com Diego Rivera e a tormentuosa relação do casal consigo e com a arte. Desde a longa e complexa relação que Frida desenvolveu com o seu marido e mentor, passando pela seu ilícito e controverso com Trotsky, até aos provocadores e românticos relacionamentos com mulheres.~


Amadeus

Este filme conta a história da vida de Mozart aos olhos do seu grande rival Salieri. Salieri, trinta e poucos anos depois da morte de Mozart, é levado para um asilo depois de uma tentativa do suicídio. Um padre vem a seu encontro para ouvir a sua confissão acerca da morte de Mozart, mas no entanto é levado a ouvir a história de como Salieri, conduzido pela inveja, tudo faz para destruir Mozart. Um grande filme, vencedor de 9 Óscares, incluindo o Óscar de melhor filme, melhor realizador e melhor actor.


 O Aviador

Filme biográfico sobre a vida de Howard Hughes, o multi-milionário americano da indústria aeronáutica e do cinema, que teve uma vida que captou as atenções de todo o mundo, para o que muito contrinuiram os seus relacionamentos com duas sdas maiores estrelas de Hollywood: Ava Gardner e Katherine Hepburn. O protagonista é Leonardo Dicaprio.


Ali

Biografia da lenda do boxe, Muhammad Ali: as suas vitórias e derrotas, a sua conversão ao islamismo e a sua recusa em ir para o Vietnam. A vida do homem enquanto campeão e herói mediático. O protagonista do filme é Will Smith.


 Che

A 26 de Novembro de 1956, Fidel Castro parte para Cuba com oitenta rebeldes. Um deles é “Che” Guevara, um médico argentino que partilha com Fidel um objectivo – derrubar a ditadura corrupta de Fulgêncio Batista. Che torna-se uma força indispensável e rapidamente aprende a arte da guerrilha. À medida que segue para a frente de combate, Che é adoptado pelos seus camaradas e pelo povo cubano. O Argentino mostra a ascensão de Che na Revolução Cubana, de médico a comandante e, mais tarde, a herói revolucionário. Este é um filme dividido em duas partes.


Uma mente brilhante

Jonh Nash, diagnosticado como paranóide- esquizofrénico, distingue-se como matemático prodigioso ganha um prémio Nobel. John Forbes Nash, Jr. experimenta a notoriedade como cientista e a desgraça como louco. Um génio matemático, faz uma importante descoberta cedo na sua carreira que quase o leva à aclamação internacional. Mas o belo e arrogante Nash acaba por encontrar-se numa dura e dolorosa viagem de auto-descoberta. Após vários anos de luta, acaba por triunfar sobre a sua tragédia e, finalmente, no fim da sua vida, é reconhecido como prémio Nobel da Matemática.


Anne Frank

Baseado no aclamado livro de Melissa Müller, “Anne Frank”, leva-nos para além da história que já conhece e descreve-nos o verdadeiro retrato de Anne antes e depois de se refugiar. A história situa-se na Segunda Guerra Mundial.

Ray

Dirigido por Taylor Hackford (O Advogado do Diabo, Oficial e Cavalheiro), o qual passou os últimos quinze anos a trabalhar nesta história juntamente com Ray Charles, este filme capta a essência de um homem que simplificou as suas lutas e as transformou numa miríade de estilos musicais – Rhythm and Blues, Jazz, Rock & Roll, Gospell, Country e Western, ensinando ao mundo uma nova forma de ouvir: Ray Charles.


J. Edgar

Durante a sua vida, J. Edgar Hoover tornou-se no homem mais poderoso da América. Como chefe do FBI durante quase 50 anos, ele faria tudo para proteger o seu País. No período em que governaram oito Presidentes e se assistiu a três guerras, Hoover travou batalha contra todas as ameaças, muitas vezes quebrando regras para proteger os seus compatriotas. Os seus métodos eram, ao mesmo tempo, cruéis e heróicos. Hoover era um homem que dava grande valor aos segredos – particularmente os dos outros – e não tinha medo de utilizar essa informação de forma a exercer autoridade perante as principais figuras da Nação. Compreendendo que conhecimento é poder e que o medo cria oportunidade, ele usou ambos para ganhar uma influência sem precedentes, adquirindo uma reputação formidável e intocável. Muito reservado na sua vida privada mas também na sua vida pública, permitia apenas rodear-se de um restrito círculo de pessoas da sua confiança. O seu colega mais próximo, Clyde Tolson, também foi a sua companhia constante. A sua secretária, Helen Gandy, talvez tenha sido a pessoa que mais conhecimentos tinha acerca dos seus projectos e que a ele se manteve fiel até ao fim. Apenas a mãe de Hoover, que foi a sua inspiração e consciência, iria deixá-lo. A sua morte foi algo de esmagador para o filho que sempre procurou o seu amor e aprovação.


Walk the line

Em 1955, um inflexível e magrizela guitarrista-cantor, que se intitulava J.R.Cash, entrou nos que viriam a ser os famosos Sun Studios, em Memphis… Foi um momento que teria mais tarde um efeito indelével na cultura Americana. Arrancando ritmados acordes da sua guitarra, com grande intensidade no seu olhar de aço e uma voz tão profunda e negra como a noite, Cash cantou empoladas e corajosas canções de dor e sobrevivência, que falavam da vida real, como ninguém tinha ouvido antes. Esse dia foi o início da electrizante carreira de Johnny Cash como pioneiro de um som ferozmente original, que abriu caminho para as imortais estrelas do rock, country, punk, folk e rap, companheiros dos seus “tours” selvagens: Elvis Presley, Carl Perkins, Roy Orbison, Jerry Lee Lewis e Waylon Jennings…


La vie en rose

Dos bairros de lata de Paris até às luzes da ribalta de Nova Iorque, a vida de Edith Piaf foi uma batalha para cantar e sobreviver, viver e amar. Educada num ambiente de pobreza, a sua voz magnífica, os seus romances ardentes e as amizades que tinha com grandes nomes da época – Yves Montand, Jean Cocteau, Charles Aznavour, Marlene Dietrich, Marcel Cerdan e outros – fazem de Edith uma estrela conhecida em todo o mundo. Mas numa tentativa ousada em domar o seu destino trágico, o “Rouxinol de Paris” – a sua alcunha – voou tão alto que não conseguiu evitar queimar as suas asas.


A Dama de Ferro

Margaret Thatcher, a antiga Primeiro-Ministro, agora octogenária, está a tomar o pequeno-almoço na sua casa de Chester Square, em Londres. Apesar do seu marido, Denis, ter falecido há já alguns anos, a sua decisão de se ver livre finalmente do seu guarda-roupa desencadeou uma sucessão de memórias. Na realidade, quando ela se prepara para mais um dia, Denis aparece-lhe tão real como quando estava vivo – leal, adorável, travesso. O staff de Margaret expressa a sua preocupação a Carol Thatcher sobre a aparente confusão da sua mãe entre passado e presente. A preocupação torna-se mais forte quando, num jantar que oferece essa noite, Margaret recebe bem os seus convidados mas é depois distraída pelas memórias do jantar em que conheceu Denis pela primeira vez, 60 anos antes. Depois do jantar terminar, Margaret retira-se para o seu quarto, mas não consegue dormir. Levanta-se e põe-se a ver alguns filmes caseiros onde vê claramente os sacrifícios que fez na sua vida privada em proveito da sua carreira. No dia a seguir ao jantar, Carol persuade a sua mãe a ir a um médico. Margaret mantém que não há nada de errado com ela. Mas não revela ao medico nada sobre as suas vívidas memórias dos momentos chave da sua vida que a estão a impedir de dormir. De regresso a Chester Square, Margaret luta contra a crescente presença das suas memórias. Empacota todos os pertences de Denis e declara a sua independência – é claro que continuará a ter memórias mas também tem uma vida no presente – uma vida mais modesta que antes, mas mesmo assim uma vida que vale a pena viver.

Categorias

Filmes, Listas

beautifuldreams Ver todos

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

0 opiniões sobre “Os melhores filmes biográficos Deixe um comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: